comentários posts

Brasil/Direitos/Diversidade/Polícia/Política/Televisão

EMPRESA PEDE BLOQUEIO DE SALÁRIO DE FROTA POR CALOTE EM BOATE GAY

Após faltar a show, Frota é alvo de processo na Justiça de Brasília há 12 anos Foto: Reprodução.

Em 2006, Nice Pereira era uma empresária brasiliense que não tinha do que se queixar. Sua empresa havia decolado e era sinônimo de cultura. Ostentava um currículo com produções de shows de Gilberto Gil, Hermeto Pascoal e Zizi Possi. A Agita Cultural também havia sido representante exclusiva na cidade de grandes sucessos do cinema. De Harry Potter a O Senhor dos Anéis , passando por Carandiru e O Homem Que Copiava . Mas, longe das grandes plateias, ela farejou uma oportunidade. As paradas gays estavam se consolidando. Bingo. Resolveu, então, deixar de lado por uma vez os figurões da indústria e apostar nesse público. Faria uma “Festa do Orgulho Gay em Brasília”. A estrela seria Alexandre Frota, que atuava em filmes pornôs.  Leia Mais

Compartilhar
Brasil/Tecnologia

WhatsApp cria recurso para usuário decidir em qual grupo quer entrar

Novo recurso do WhatsApp ajuda a diminuir número de grupos no aplicativo.

O WhatsApp anunciou nesta quarta-feira (3) um recurso que dará mais controle aos usuários sobre quais grupos deseja fazer parte.  Com um ajuste nas configurações, agora é possível escolher quem pode adicionar o seu número em uma nova conversa. Leia Mais

Compartilhar
Internacional/Música/Televisão

Britney Spears é internada em clínica psiquiátrica após intenso desgaste emocional

Britney Spears deu entrada em uma clínica psiquiátrica para tratar um desgaste emocional excessivo, segundo uma fonte da revista Variety. A cantora chegou ao local na última semana, de acordo com o site TMZ, e deve ficar internada por um mês. Leia Mais

Compartilhar
Brasil/Comunicação Social/Televisão

Sandra Annenberg deixa a bancada do Jornal Nacional

A apresentadora Sandra Annenberg pediu para deixar o time de plantonistas da bancada do Jornal Nacional, de acordo com informações do UOL. Esta é a terceira baixa no principal telejornal da emissora, que já contava com as saídas de Chico Pinheiro e Alexandre no final de 2018. Leia Mais

Compartilhar
Brasil/Política

Senado aprova orçamento impositivo em primeiro turno

O plenário do Senado aprovou em primeiro turno, por 58 votos a favor e 6 contrários, a proposta de emenda à Constituição do Orçamento Impositivo, que engessa ainda mais as contas do governo. Leia Mais

Compartilhar
Brasil/Cultura/Diversidade

Será que a maquiagem masculina vai virar tendência?

Jeffree Starr, Manny Gutierrez e James Charles durante o lançamento da KKW Beauty, linha de cosméticos de Kim Kardashian West
Foto: Getty Images / BBC News Brasil

David Beckham estampou a capa da edição de janeiro da revista Love, usando um terno Dior, assinado pelo estilista Kim Jones, que deixava à mostra a tatuagem de rosas e pássaros verdes em seu pescoço. Leia Mais

Compartilhar
Brasil/Política

Perdão a dívidas de ruralistas pode virar problema para Bolsonaro

 

“Jair Bolsonaro vai precisar rever sua posição sobre o perdão das dívidas do Funrural. (Foto: José Cruz/Agência Brasil)| Foto: José Cruz/Agência Brasil”

“Uma anistia bilionária que agradaria ao agronegócio virou uma preocupação no horizonte do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Ainda candidato, o capitão buscou apoio do poderoso setor e sinalizou apoio a um perdão de dívidas de produtores rurais e agroindústrias com o Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural (Funrural), que é a contribuição previdenciária feita pelo agronegócio. A Receita Federal estima que essa renúncia fiscal pode atingir o montante de R$ 15,8 bilhões.

Com a penúria das contas públicas, a anistia a essa dívida pode complicar o presidente, tanto que áreas técnicas do Planalto recomendam que o governo não apoie a tramitação de um projeto de lei que perdoa essas dívidas. O temor é que isso possa configurar crime de responsabilidade, que eventualmente levaria a um pedido de impeachment.

A confusão com o Funrural começou em 2010. Naquele ano, o Supremo Tribunal Federal (STF) concedeu uma liminar a um frigorífico e abriu um precedente de não recolhimento dessa contribuição. Mas, em 2017, o tribunal mudou seu entendimento sobre a questão e concluiu que a cobrança era constitucional. Isso transformou os produtores – que, amparados em liminares, deixaram de recolher o Funrural – em devedores. O governo de Michel Temer (MDB) criou um programa de regularização tributária, que oferece condições especiais de renegociação dessas dívidas. Mas ele teve pouca adesão, pois muitos devedores preferiram esperar por uma anistia geral. E a bancada ruralista apresentou um projeto de lei que, na prática, perdoa todas essas dívidas.

Ainda candidato, Bolsonaro demonstrou seu apoio ao PL 9.252/2017, do deputado Jerônimo Goergen (PP-RS). “Não entendemos porque o Supremo tomou aquela decisão (…), mas o Funrural estava fora do radar do homem do campo. E com a decisão do Supremo, a Câmara, no meu entender, faltou uma articulação com uma bancada ruralista que, para alguns deixa a desejar e eu concordo em parte com eles, e nós devemos agora rever essa lei. Como? Não pagando o retroativo num primeiro momento”, declarou em 1.º de maio de 2018 ao programa Sucesso no Campo.

Na ocasião, Bolsonaro estava ao lado de Luiz Antônio Nabhan Garcia, que atualmente é secretário de Assuntos Fundiários do Ministério da Agricultura e um dos principais conselheiros do presidente. Ainda pré-candidato na época, Bolsonaro foi questionado sobre o apoio ao PL 9.252. “Eu não sou um homem de ponta nesse setor, eu sou um homem do Exército, mas nessas questões nós temos trabalhado com o Jerônimo [Goergen, autor do projeto] que quer realmente revogar isso aí. Não é fácil você botar algo em votação em Brasília. Requer primeiro um requerimento de urgência urgentíssima e tem que ter 257 votando sim e depois metade mais um votando favorável. Agora, se o governo federal tivesse interesse ele teria como pedir a urgência constitucional e acionar todas as bancadas para que votasse favorável”, declarou.

Nabhan Garcia, em dezembro de 2018, declarou ao jornal Valor Econômico que havia conversado com Bolsonaro sobre o tema e que o presidente garantiu que “faria tudo para resolver o problema do Funrural”, explicando que o objetivo não é o de acabar com o fundo, mas isentar a cobrança do retroativo, “que é impagável”. Após a posse, o próprio secretário amenizou o discurso, como registra o Valor, em matéria de 28 de março deste ano. “O presidente não vai se precipitar para agradar o setor e incorrer numa situação que pode até implicar pedido de impeachment”, afirmou ao jornal. Ele ainda declarou que “uma coisa é a campanha”, mas que no comando do Planalto, Bolsonaro precisa ouvir órgãos como a Advocacia-Geral da União (AGU), Receita Federal e o Ministério da Economia. Essas áreas técnicas condenam o perdão dessa dívida e a cobrança do passivo do Funrural agora é vista por outro prisma no governo, que considera a anistia ilegal.

Projeto de lei parado na Câmara

O PL 9.252/17 está parado na Câmara dos Deputados. A proposta começou a tramitar em dezembro de 2017 e passou por diversas comissões. A justificativa de Goergen fala de insegurança jurídica e ainda pondera que o plano de regularização das dívidas “coloca em risco milhões de empregos e pode levar a uma quebradeira generalizada entre os pequenos e médios produtores rurais empregadores e adquirentes”.

Um ano depois do início da tramitação, em dezembro de 2018, o plenário da Casa aprovou um requerimento de urgência para a votação do projeto, mas ele acabou apensado a um outro projeto, de 2011 e não foi sequer colocado na ordem do dia. Na época, Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Casa, explicou que a urgência do texto foi aprovada de maneira simbólica e que não colocaria o assunto em pauta.

“Isso não vai ser votado. O que o setor espera é que o governo possa prorrogar mais um pouquinho o prazo para adesão já que o STF tinha uma interpretação em relação a essas dívidas, inverteu durante o ano passado e precisa arranjar uma solução porque impactou o caixa dos produtores rurais. A gente aprovou a urgência apenas como simbolismo para que os produtores possam negociar com o governo esse prazo para adesão”, explicou Rodrigo Maia na ocasião, em registro da Agência Câmara Notícias.

O projeto foi arquivado pela Mesa Diretora da Câmara em janeiro de 2019. No mês seguinte, foi desarquivado após um pedido do próprio Goergen, mas não avançou desde então.”

//gazetadopovo

Compartilhar
Brasil/Política

Laudo nega meningite como causa da morte do neto de Lula

Doença foi apontada pelo Hospital Bartira, da rede D’Or, como motivo do óbito do garoto

A prefeitura da cidade de Santo André (SP) descartou que a morte do neto do ex-presidente Lula, Arthur Araújo Lula de Silva, tenha sido causada por meningite meningogócica.  Leia Mais

Compartilhar
Brasil/Educação

Inep diz que avalia ‘alternativas seguras’ para impressão do Enem após gráfica contratada pedir falência

A gráfica RR Donnelley já realiza o certame desde 2009, a última renovação havia sido feita em julho de 2018, pelo período de 12 meses, e incluía a execução dos serviços do Enem 2019

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) informou nesta terça (2) que o cronograma para a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 está mantido e que as provas ocorrerão normalmente nos dias 3 e 10 de novembro, conforme o previsto.

Ontem (1º), a gráfica responsável pela impressão das provas do Enem desde 2009 e que iria imprimir também a edição 2019 entrou com pedido de falência.

Segundo o cronograma geral, o trabalho da gráfica começa no mesmo período das inscrições. Mas o processo de elaborar uma nova licitação até a contratação de uma nova empresa leva no mínimo seis meses – incluindo audiências públicas e as demais etapas exigidas pela Lei de Licitações.

De acordo com o Inep, “existem alternativas seguras sendo avaliadas” para a impressão das provas.

Uma alternativa, em casos emergenciais, é o Inep conseguir uma dispensa de licitação para contratar uma gráfica e garantir a impressão segura das provas a tempo da aplicação do Enem 2019.

A gráfica RR Donnelley já realiza o certame desde 2009, a última renovação havia sido feita em julho de 2018, pelo período de 12 meses, e incluía a execução dos serviços do Enem 2019 e a possibilidade de prorrogação, no meio do ano, por mais 12 meses. Leia Mais

Compartilhar
Brasil/Política

Vereador do PSL é preso acusado de ficar com salário de funcionários

De acordo com a Polícia Civil, um funcionário recebia salário de R$ 11 mil e ficava com apenas R$ 1 mil

O vereador de Belo Horizonte, Claudio Donizete Duarte (PSL), foi preso hoje (2) acusado de ficar com parte dos salários dos servidores do seu gabinete. De acordo com o site Tribuna do Interior, além dele, Luiz Carlos de Souza Cordeiro, seu chefe de gabinete, também foi detido.

De acordo com a Polícia Civil, um funcionário recebia salário de R$ 11 mil e ficava com apenas R$ 1 mil. A investigação aponta que o restante era repassado para o parlamentar por meio do chefe de gabinete. Leia Mais

Compartilhar
Brasil/Economia

Preço da placa Mercosul na Bahia pode cair

Custos são reduzidos gradativamente e repassados aos estampadores

Os donos de automóveis no estado podem passar a pagar menos pelas novas placas Mercosul, de acordo com a Associação dos Fabricantes de Placas do Interior da Bahia (Afapi).

A redução nos preços deve ocorrer porque a empresa fabricante baiana de blank (a chapa de alumínio com a película na qual são impressos os dados de identificação do veículo) está conseguindo se ajustar ao novo processo.

Com isso, os custos são reduzidos gradativamente e repassados aos estampadores. Sendo assim, são criadas condições para a redução do custo final.

“Se ajustar a esse novo processo está sendo um desafio, mas estamos trabalhando visando atender com eficiência e melhores condições para toda a cadeia, particularmente o consumidor final”, declarou a presidente da Afapi, Maria Soledade, durante encontro em Feira de Santana, que reuniu os empresários do setor.

No encontro, a presidente da Afapi anunciou a redução do preço cobrado pelo fabricante de blank. O par de placas para os estampadores, no caso dos automóveis e caminhões, passou de R$ 89 para R$ 41 e o de motos, de R$ 45 para R$ 21.

Outra redução foi anunciada pelo empresário José Carlos Cabral, presidente da CSO, empresa de tecnologia parceira da Afapi. O custo de transmissão de dados dos veículos para a fabricação das placas passou para R$ 10.

 “Acreditamos que essa redução de custos vai acabar impactando também no custo final para os proprietários de veículos, que poderão pagar menos pelas novas placas”, disse o presidente da CSO. //Metro 1

 

 

Compartilhar
Brasil/Educação

Número de alunos com autismo em escolas comuns cresce 37% em um ano; aprendizagem ainda é desafio

Giovanna Bonfim tem autismo e estuda em uma escola estadual de São Paulo — Foto: Arquivo pessoal

O número de alunos com transtorno do espectro autista (TEA) que estão matriculados em classes comuns no Brasil aumentou 37,27% em um ano. Em 2017, 77.102 crianças e adolescentes com autismo estudavam na mesma sala que pessoas sem deficiência. Esse índice subiu para 105.842 alunos em 2018.

Os dados foram extraídos do Censo Escolar, divulgado anualmente pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). São considerados tanto os estudantes de escolas públicas quanto de particulares. O G1 fez um levantamento específico sobre o transtorno nesta terça-feira, 2 de abril, Dia Mundial da Conscientização do Autismo.

O aumento no número de matrículas acompanha uma exigência legal: pelos princípios constitucionais, nenhuma escola pode recusar a entrada de um aluno por causa de uma deficiência – nem mesmo as da rede privada. Há, inclusive, uma política nacional específica para pessoas com TEA, sancionada em dezembro de 2012. Pela Lei Berenice Piana, como é conhecida, é direito da pessoa com autismo o acesso à educação e ao ensino profissionalizante.

Apenas um primeiro passo

Conforme mostram os dados do Censo, o aumento das matrículas indica que as escolas deram um passo em direção à inclusão. No entanto, permanece um desafio: ir além da mera presença em sala de aula. É necessário assegurar que os alunos com autismo estejam aprendendo. Leia Mais

Compartilhar
Brasil/Curiosidades/Música

BIOGRAFIA NARRA VISITAS DE ANITTA A TERREIRO DE CANDOMBLÉ

Autor conta que Anitta frequenta terreiro de Candonblé no Rio Foto: Reprodução/Instagram.

 

Uma parte do livro “Furacão Anitta”, biografia não autorizada da cantora escrita pelo jornalista Leo Dias, fala sobre a religião da artista e a devoção que ela tem ao Candomblé. Segundo o autor, a Poderosa frequenta há alguns anos um terreiro na região metropolitana do Rio, onde é vista de forma simples, descalça e exercendo atividades como lavar banheiro e varrer o chão.

“Quando ela vai lá, só ficam pessoas que têm relação direta com o lugar. Tudo para dar tranquilidade e privacidade à cantora, que lá, não se parece em nada com a superstar que aparece nos clipes e programas de TV. Durante o tempo em que fica imersa em sua experiência religiosa, Anitta é vista descalças, de roupas brancas, fazendo atividades comuns no local, como lavar o banheiro, varrer o chão e cuidar da mesa e refeições. No terreiro, tem contato permanente com a vida simples de que tanto gosta. (…) “Quando ela vai, ela se entrega totalmente .(…) O local, muito discreto, acabou se torando um refúgio para a cantora, especialmente nos momentos de maior estresse físico e mental”, diz um trecho da obra.

Leo Dias conta que o terreiro também é frequentado pelo pai e o irmão da cantora, que, por conta da dedicação, já são considerados pai e filho de santo, respectivamente. Já Anitta, segundo o autor, tem uma posição privilegiada no candomblé:

“Ela foi ‘abençoada’. Funciona assim: no candomblé, existem as chamadas Ekedi, que são como zeladoras dos orixás e têm posições privilegiada no terreiro. E isso é herdado, como um dom, a pessoa nasce assim. E, desde o seu primeiro jogo, Pai Sergio (o pai de Santo, grande confidente, ombro amigo e orientador da cantora) identificou com Ekedi, um ser elevado e espiritual”.

O autor narra que a cantora passou a seguir fielmente os dogmas do candomblé após passar por uma das maiores crises financeiras da sua vida, no início da carreira.

“Após ser colocada na geladeira pela Furacão 2000 (empresa que cuidava da carreira dela na época), o pai estava desempregado e a mãe ainda costurava bolsinhas que valiam centavos. A quem apelar? Só restava mesmo a religião. E o que parceria impossível aconteceu. Mesmo boicotada (pela Furacão), ela emplacou dois hits: ‘Menina máe’ e ‘Meiga e abusada’. Anitta entendeu perfeitamente o sinal e, desde então, passou a seguir fielmente seus dogmas”.

Segundo a obra, Pai Sergio passou então a ser um grande confidente, ombro amigo e orientador da cantora. “Ele é um dos primeiros a ouvir um desabafo sobre qualquer problema, seja profissional ou pessoal. Anitta confia tanto nele que pede orientação sobre quase tudo em sua vida”.

O livro afirma que a cantora segue todas as orientações do seu Pai de santo, como se casar na Amazônia com Thiago Magalhães. “Os orixás do candomblé representam a forças da natureza”.

Num vídeo publicado no stories do Instagram na última sexta-feira, Anitta comentou sobre sua religião ter sido citada no livro que acaba de chegar às bancas.

“Pedi que ele (o autor) estudasse sobre a minha religião para que não falasse besteira. Vou ler direitinho para ver como saiu, mas o pedacinho que eu li, eu vi que ele está falando de uma maneira bem bonita”, disse ela.

O livro 'Furacão Anitta' já está à venda

//extra

Compartilhar
Bahia/Brasil/Cultura/Curiosidades

NAMORADEIRA ASSUMIDA, MARIA BETHÂNIA DIZ GOSTAR DE HOMENS VIRIS E QUE MULHERES A CONQUISTAM PELO OLHAR

Maria Bethânia não é de dissimular, disfarçar e esconder, mas sempre preferiu falar pouco de sua intimidade. Mas numa entrevista para a amiga Naná Karabachian, a diva da MPB quis mais é se abrir e tocou em assuntos raramente tratados ao longo da carreira de mais de 50 anos.

Bethânia se diz uma mulher namoradeira, mas admite que nunca teve talento para sedução. “Não sei seduzir nada. Eu sei cantar. Se você me mandar seduzir alguém, eu vou errar total. Eu faço o que eu tenho que fazer, só o meu ofício”, diz ela no canal do Youtube “Hora de Naná”.

Quando perguntada o que mais a atraía nos homens, a cantora foi direta: “Acho bonito homem viril. Desde menina sou atraída. Meu pai era um homem alto, elegante, muito bonito e forte, mulato. Talvez seja esse espelho que eu gosto. Meus namorados masculinos sempre foram assim: rapazes corajosos, valentes, mas doces demais e suaves e amorosos, encantadores e poéticos”.

Maria Bethânia falou ainda que é o olhar o que mais a encanta nas mulheres: “Gostava do olhar de minha mãe, um modo muito sabido e irônico. Continuo gostando. Acho que o olho é uma bandeira. Às vezes, você é perversa e seu olho é de criança pedindo socorro. Olho e mão são muito fortes para mim”.

Maria Bethânia é entrevistada pela amiga Naná Karabachian
    Maria Bethânia é entrevistada pela amiga Naná Karabachian Foto: reprodução//extra

Compartilhar
Brasil/Educação

Enem: Período para solicitar isenção de taxa de inscrição começa nesta segunda-feira, 1º

 

Começa nesta segunda-feira, dia 1º de abril, o período para os candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 solicitarem isenção da taxa de inscrição, de R$ 85. O prazo termina em 10 de abril.  Leia Mais

Compartilhar
Brasil/Internacional/Política

‘É direito deles reclamar’, diz Bolsonaro sobre reação palestina a escritório do Brasil em Jerusalém

 

O presidente Jair Bolsonaro comentou nesta segunda-feira (1º) a reação de palestinos sobre a decisão do governo de abrir um escritório comercial do Brasil em Jerusalém. As informações são do G1.

Neste domingo (31), após o anúncio da abertura do escritório, a Autoridade Palestina afirmou que vai chamar de volta seu embaixador no Brasil para consultas e para estudar uma resposta à medida.

“É direito deles reclamar”, disse Bolsonaro após ser questionado sobre o tema por jornalistas que acompanham a viagem do presidente a Israel. “A gente não quer ofender ninguém. Agora, queremos que respeitem a nossa autonomia”, completou.
Assim que foi eleito, em novembro do ano passado, o presidente afirmou que transferiria a embaixada brasileira em Israel de Tel Aviv para Jerusalém. O gesto desagradaria palestinos, que reivindicam Jerusalém Oriental como capital de seu futuro Estado. Israel, por outro lado, considera Jerusalém a “capital eterna e indivisível” do país. Jerusalém não é reconhecida internacionalmente como a capital israelense.

Bolsonaro foi alertado de que a transferência da embaixada poderia afetar as exportações brasileiras, principalmente de carne, para países árabes. Com isso, o presidente ainda não tomou uma decisão final sobre a cidade em que ficará a embaixada.
Ele foi questionado nesta segunda se definiria a mudança da embaixada até o fim de seu mandato. “Bem antes disso será dada a decisão, pode ter certeza”, respondeu.

//istoé

Leia Mais

Compartilhar
Brasil/Política

Bolsonaro cria precedente diplomático ao visitar Muro das Lamentações com Netanyahu

O presidente brasileiro reza no Muro das Lamentações, na Cidade Velha de Jerusalém – POOL/AFP.

O presidente Jair Bolsonaro visitou nesta segunda-feira (1) com Benjamin Netanyahu o Muro das Lamentações em Jerusalém, tornando-se, assim, o primeiro chefe de Estado a realizar tal visita ao lado de um primeiro-ministro israelense.  Leia Mais

Compartilhar