comentários posts

Brasil/Rodovias

Redução de veículos pode afetar estatística

Moro omitiu que o resultado pode estar relacionado com a redução do número de veículos em circulação

O ministro da Justiça, Sérgio Moro, saudou, via Twitter, o “menor número de vítimas fatais, durante a Páscoa, em 12 anos como um alento”, assim como ocorreu no Carnaval, mas omitiu que o resultado pode estar relacionado com a redução do número de veículos em circulação. Embora não se tenha divulgado estatísticas oficiais ou projeções da Polícia Rodoviária Federal, o aumento do preço do combustível e a redução do poder aquisitivo dos brasileiros, devido à intensificação da crise econômica, não são variáveis desprezíveis na avaliação do movimento das estradas.

Outra contribuição para o bom resultado pode ter vindo da juíza federal Diana Wanderlei, ao determinar a manutenção dos radares nas rodovias federais, contrariando a proposta da presidência da República de reduzir a zero os 5.500 equipamentos em operação.

As rodovias federais baianas tiveram redução de 25% do número de acidentes e de 27,7% no feriado da Semana Santa em relação a 2018. O elevado percentual leva os mais céticos a desconfiarem deste suposto e súbito avanço da educação ao volante, daí a importância de levar em conta as variáveis omitidas na avaliação oficial.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, em quatro dias de operação, entre a quinta-feira e o Domingo da Páscoa, foram 39 acidentes, com oito mortos e 53 pessoas feridas nas estradas que cortam a Bahia. Leia Mais

Compartilhar
Bahia/Educação

Inscrições para Partiu Estágio encerram nesta quinta-feira

Convocados irão atuar no reforço escolar da rede estadual

Encerram nessa quinta-feira, 25, as inscrições para o segundo edital do Programa Partiu Estágio, destinado ao reforço escolar na rede estadual de ensino. Estão sendo oferecidas 4.390 vagas, que serão distribuídas em todo o estado.

As inscrições devem ser feitas diretamente no site do programa. Podem participar universitários baianos que cursam licenciaturas em letras vernáculas, matemática e educação física presencias e na modalidade EAD. Os estudantes precisam encontrar-se regularmente matriculados em cursos presenciais de instituições estaduais, federais e privadas, além de graduações EAD com sede/pólo na Bahia.

Alunos de cursos presenciais poderão concorrer a vagas nas cidades onde moram ou estudam. Leia Mais

Compartilhar
Brasil/Política

Relator vota por redução da pena de Lula no caso do triplex

Fischer fez uma leitura resumida das mais de 170 páginas do voto

O ministro Felix Fischer, relator do recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no Superior Tribunal de Justiça (STJ), votou na tarde desta terça-feira, 23, para reduzir a pena do petista no caso do “triplex do Guarujá” para 8 anos, 10 meses e 20 dias de reclusão.

A Quinta Turma do STJ iniciou na tarde desta terça-feira o julgamento do recurso em que Lula tenta rever a condenação de 12 anos e um mês de prisão imposta pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso.

Considerado linha dura e rigoroso pelos colegas, Fischer fez uma leitura resumida das mais de 170 páginas do voto. Ainda faltam votar mais três ministros do colegiado.

Em um voto enxuto e técnico, Fischer não abraçou as principais teses defendidas pela defesa do ex-presidente – como a falta de provas e a competência da Justiça Eleitoral para cuidar do caso. O ministro, no entanto, redimensionou a pena imposta ao ex-presidente ao analisar os fatos elencados no caso.

“Quanto ao crime de corrupção passiva, não verifico ilegalidade na valoração negativa das quatro circunstanciais iniciais, consideradas pelo TRF-4, todavia reduzo o patamar estipulado e exaspero em 9 meses cada uma das vetoriais”, disse o ministro, sem entrar em detalhes. Leia Mais

Compartilhar
Brasil/Geral/Política

‘É natural’, diz Bruno Reis sobre possibilidade de disputar sucessão de Neto

 

O vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis, admitiu que é natural a possibilidade de disputar a sucessão do prefeito ACM Neto (DEM) nas próximas eleições

O vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis, admitiu que é natural a possibilidade de disputar a sucessão do prefeito ACM Neto (DEM) nas próximas eleições.

“Na condição de vice-prefeito, é natural que eu possa disputar a eleição para avançar mais com uma gestão que vem dando resultados expressivos e hoje orgulha não só a Bahia, mas é um exemplo para o Brasil”, declarou, por meio da assessoria de imprensa. Leia Mais

Compartilhar
Bahia/Festas Juninas/Justiça

Justiça recomenda verificação da legalidade dos gastos municipais com festas juninas

Segundo o documento, é preciso garantir que despesas públicas com os festejos não prejudiquem o cumprimento dos deveres dos governos

A procuradora-geral de Justiça, Ediene Lousado, recomendou aos promotores com atuação na área da moralidade administrativa, que instaurem procedimentos para verificar a legalidade dos gastos municipais, nas cidades baianas, para a realização das festas juninas deste ano. A recomendação foi publicada nesta segunda-feira,22,no Diário de Justiça Eletrônico.

Segundo o documento, é preciso garantir que despesas públicas com os festejos não prejudiquem o cumprimento dos deveres dos governos municipais quanto aos serviços de saúde, educação e saneamento básico. Os gastos devem ser realizados com respeito à impessoalidade e igualdade entre os fornecedores de bens, obras e serviços, procurando-se sempre a proposta mais vantajosa economicamente à Administração Pública. Leia Mais

Compartilhar
Geral/Vitória da Conquista

Embasa contesta dados sobre presença de agrotóxicos na água

Segundo os dados, a água que abastece as torneiras contêm pelo menos um agrotóxico

Através nota à imprensa, a Empresa Baiana de Águas e Saneamento Básico (Embasa) contestou os dados sobre a presença de agrotóxicos na água em 271 municípios da Bahia, divulgados pela investigação conjunta da ONG Repórter Brasil, da Agência Pública e da organização suíça Public Eye. A Embasa garante conformidade da água distribuída e afirma que os níveis de agrotóxicos nos municípios citados pela pesquisa estão bem abaixo do valor máximo permitido (VMP) pelo Ministério da Saúde.

Os dados que ganharam repercussão em toda a Bahia apontam que 217 municípios, inclusive Vitória da Conquista, contêm pelo menos um agrotóxico na água que abastece às torneiras. Segundo a pesquisa, Mucugê, na Chapada Diamantina, Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), Itapetinga, Centro Sul, e São Félix do Coribe, no Oeste, tem a situação mais crítica e consomem um perigo coquetel com 27 agrotóxicos encontrados na água utilizada pela população.

Confira nota da Embasa na íntegra:

Sobre investigação conjunta da ONG Repórter Brasil e da organização suíça Public Eye sobre presença de agrotóxicos na água distribuída no Brasil a partir de resultados de análises registrados entre 2014 e 2017 no Sisagua (Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano), a Embasa esclarece que a interpretação dos dados divulgados em matéria jornalística não informa que os níveis detectados nas amostras dos municípios citados estão bem abaixo do valor máximo permitido (VMP) pelo Ministério da Saúde.

Vale ressaltar que, no período considerado na investigação (2014-2017), os equipamentos e procedimentos utilizados nas análises da Embasa indicavam com precisão a presença quase nula, ou em concentração inferior ao VMP, de 23 das 27 substâncias de agrotóxicos monitoradas nas análises. Para as outras quatro substâncias, o nível de precisão era mais baixo. Em 2018, porém, laboratórios de terceiros foram contratados para verificar com mais precisão a presença dessas quatro substâncias e os resultados, já disponíveis no Sisagua, atestam que a água distribuída pela empresa está em conformidade com a Portaria de Consolidação nº5 de 2017, norma que determina os parâmetros de potabilidade da água no Brasil.

Sem considerar essa informação, a ONG Repórter Brasil e a Public Eye afirmam que a água de alguns municípios baianos está com presença de agrotóxicos acima do nível permitido. No entanto, a partir de 2018, foi possível comprovar que todas as 27 substâncias estavam em total conformidade com o exigido pelo Ministério da Saúde. Leia Mais

Compartilhar
Mundo/Terrorismo

Bilionário dono da ASOS perde três filhos nos atentados do Sri Lanka

Anders Holch Povlsen é dono da empresa têxtil Bestseller e um dos maiores acionistas da gigante companhia de moda ASOS

O bilionário dinamarquês Anders Holch Povlsen perdeu três dos quatro filhos nos atentados terroristas que atingiram o Sri Lanka no domingo (21) de Páscoa. As informações foram confirmadas por um porta-voz do empresário à rede BBC. Série de ataques deixou 290 mortos.

Os nomes das crianças não foram divulgados. Ainda segundo o representante, a família visitava o país asiático próximo à Índia quando aconteceram os atentados a hotéis de luxo e igrejas. Povlsen é o homem mais rico da Dinamarca e tem uma fortuna estimada em US$ 7,9 bilhões, de acordo com a revista Forbes.

Ele é dono da empresa têxtil Bestseller e um dos maiores acionistas da gigante companhia de moda ASOS.

“Infelizmente, as notícias foram confirmadas”, disse o porta-voz da Bestseller em um e-mail enviado à imprensa. “Pedimos que respeitem a privacidade da família. Não temos mais informações a oferecer.”

Atentados
O porta-voz do governo do Sri Lanka, Rajitha Senaratne, anunciou nesta segunda-feira (22) que há suspeitas de eventuais vínculos da organização islamita local, chamado National Thowheeth Jama’ath (NTJ), suspeita do ataque, com grupos estrangeiros, segundo o porta-voz. “Não acreditamos que uma organização pequena deste país possa fazer tudo isso. Estamos investigando o apoio internacional e outros vínculos”, disse Senaratne.

Uma nota divulgada há dez dias à polícia cingalesas alertava que o NTJ estava preparando atentados contra algumas igrejas e a embaixada da Índia na capital, Colombo. O grupo, que é pouco conhecido, praticou atos de vandalismo contra estátuas budistas no ano passado.

As explosões coordenadas em três igrejas e quatro hotéis colocam em evidência a ameaça à coexistência religiosa na Ásia, onde governantes têm chegado ao poder enfatizando suas origens étnicas e religiosas. Leia Mais

Compartilhar
Bahia/Geral

Catarinense dado como sumido em Brumadinho deixou de dar notícias após ameaças do pai por ser gay

Evandro, à esquerda, e Edemilson moram em Itaparica — Foto: Arquivo pessoal

O catarinense Evandro Schwirkowsky, 23 anos, que foi dado como desaparecido após a tragédia de Brumadinho, disse ao G1 nesta segunda-feira (22) que foi morar com o namorado em Itaparica, na Bahia, e que decidiu deixar de dar notícias aos parentes por conta das ameaças que vinha sofrendo do pai, pelo fato de ser homossexual.

Evandro esteve em Brumadinho no dia do rompimento da barragem de rejeitos da Vale, mas deixou a cidade, para onde tinha ido em busca de emprego, horas antes da tragédia.

Ele conta que esteve em uma pousada que ficava bem próxima da Barragem. Foi o companheiro de Evandro, Edemilson de Jesus Silva, quem acionou as equipes de resgate, informando que o namorado teria ido a Brumadinho em busca de emprego.

Em fevereiro, o Instituto Geral de Perícias (IGP) chegou a fazer a coleta de material genético do pai de Evandro para comparação genética das vítimas. Na ocasião, o pai dele, o agricultor Mauricio Schwirkowsky, disse que estava muito chocado e que tinha falado pela última vez com o filho no Natal.

Evandro se mudou de Santa Catarina para a Bahia com o namorado no dia 4 de janeiro. Como não conseguiu arrumar um emprego logo de início, Evandro decidiu ir sozinho para Minas Gerais para ver se encontrava alguma vaga — o companheiro ficou na Bahia.
O catarinense conta que após a tragédia de Brumadinho, retornou de Minas para Salvador, mas ficou incomunicável para que a família pudesse “se livrar” dele e parar com as ameaças. Ele ficou sem falar até com o companheiro. Disse que ficou vagando pelas ruas, pois não queria voltar para casa e prejudicar Edemilson, com medo que a família de Corupá os encontrasse.

“Eu fui para Minas Gerais e fui passando por várias cidades, entre elas Brumadinho. Sou apaixonado por queijo, por cidades tranquilas e foi por isso que fui até lá. Depois da tragédia, eu tive a ideia de não me comunicar com ninguém para me ver livre da minha família e eles também se verem livre de mim. Na hora do desespero, a gente faz qualquer coisa. Eu também fiquei sem falar com ele [o companheiro] porque eu estava com medo de que acontecesse algo com ele. Eu estava pensando mais no próximo do que em mim mesmo”, conta.

Evandro só avisou ao companheiro que estava bem e que tinha retornado à Bahia na última segunda-feira (15). Durante o tempo que ficou em Salvador sem se comunicar com Edemilson e com os parentes, ele disse que foi ajudado por algumas pessoas.

Assim que soube que o companheiro estava em Salvador, Edemilson avisou aos familiares de Evandro que ele estava bem e que não tinha sido uma das vítimas de Brumadinho. Evandro entrou em contato com a família em Corupá na terça-feira (16). Na sexta (19), ele deixou de fazer parte da lista de desaparecidos.

Ele conta, no entanto, que ninguém da família o procurou. Leia Mais

Compartilhar
Brasil/Saúde

Ministério da Saúde abre segunda fase da vacinação contra gripe

A influenza é uma doença sazonal, mais comum no inverno, que causa epidemias anuais

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe entra em nova etapa nesta segunda-feira, 22, em todo o país. A primeira fase, que teve início em 10 de abril, vacinou crianças, gestantes e puérperas. A partir da próxima segunda-feira, 29, o Ministério da Saúde abrirá ao restante do público-alvo.

A partir desta segunda, também podem receber a vacina trabalhadores da saúde, povos indígenas, idosos, professores de escolas públicas e privadas, pessoas com comorbidades e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, funcionários do sistema prisional e pessoas privadas de liberdade.

De acordo com o ministério, 41,8 mil postos de vacinação estão à disposição da população. Além disso, 196,5 mil profissionais estão envolvidos, com a utilização de 21,5 mil veículos terrestres, marítimos e fluviais. Leia Mais

Compartilhar
Brasil/Justiça/Política

Ministro do STF justifica censura antes da verificação de possível fake news

Ministro do STJ, Alexandre de Moraes
Foto : Carlos Moura/SCO/STF

Alexandre de Moraes, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), justificou hoje (22) sua decisão de censurar matérias da revista Crusoé e do site O Antagonista. As matérias faziam referência ao apelido de Dias Toffoli, presidente do Supremo, pela Odebrecht, e se basearam em documento entregue pela empreiteira à Lava Jato em Curitiba.

“Você não pode prejudicar a honra de uma pessoa quando há, como houve neste caso, uma nota oficial da Procuradoria-Geral da República, que dizia que não tinha conhecimento de nenhum documento (com uma citação a Dias Toffoli), como argumenta a publicação”, afirmou Moraes.

As reportagens censuradas tinham menção a Toffoli feita por email por Marcelo Odebrecht, empresário e delator, em 2007, quando Toffoli era chefe da Advocacia-Geral da União (AGU) do governo Lula. No email, Odebrecht pergunta a dois executivos da empreiteira: “Afinal vocês fecharam com o amigo do amigo de meu pai?”.

A revista Crusoé informou, no dia 11, que o documento da Odebrecht havia sido enviado à procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Mas ao determinar a censura, Moraes afirmou que a PGR havia negado, ainda no dia 12, ter recebido o material citado pela revista. Por isso, para o ministro, a informação era falsa. Na verdade, o material foi enviado no início daquela noite à Procuradoria, em Brasília.//Metro1

 

 

Compartilhar
Bahia/Brasil/Rodovias

Semana Santa: PRF registra redução de 28% em número de mortos em rodoviais federais

Operação Semana Santa começou na quinta-feira (18) e foi até domingo (21) – Foto: Fernando Oliveira/PRF

A Polícia Rodoviária Federal contabilizou 50 mortes nas estradas federais no feriado da Semana Santa. A operação de fiscalização começou na quinta-feira (18) e foi até domingo (21), e teve seu balanço divulgado nesta segunda (22). Comparado à Semana Santa de 2018, em que 70 pessoas morreram em decorrência de acidentes, houve uma queda de 28%.

Ocorreu também uma redução no número de acidentes registrados em 11% neste feriado. Foram 759 acidentes na Semana Santa deste ano e 854 no mesmo período em 2018. A PRF diz que o número de mortos e acidentes graves vem caindo desde 2017, e os de 2019 foram os menores em 12 anos para essa operação. Não há comparação entre o número de veículos que estiveram na estrada entre este ano e ano passado.

O número de crianças sendo transportadas em desacordo com a legislação subiu em 9%, assim como o número de motoristas autuados por beber e dirigir, que subiu em 26%. Leia Mais

Compartilhar
Brasil/Política

‘Vamos continuar investigando’, diz Moraes sobre ataques ao Supremo

Em seu primeiro pronunciamento público após o vaivém na semana passada das decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) em relação ao arquivamento dos inquéritos sobre a publicação da revista digital Crusoé e o site Antagonista, o ministro Alexandre de Moraes, disse nesta segunda-feira, 22, que o assunto já foi resolvido.

“Não preciso fazer nenhuma avaliação, isso já foi resolvido na semana passada e nós vamos continuar investigando, principalmente – e esse é o grande objetivo do inquérito aberto por determinação do presidente do Supremo – as ameaças aos ministros do STF”, afirmou o ministro a jornalistas durante intervalo do VII Fórum Jurídico de Lisboa, realizado pelo IDP, do ministro Gilmar Mendes, na capital portuguesa.

Moraes salientou que a Suprema Corte optou por investigar atuações contra a instituição com o objetivo de desmoralizá-la. “O que se apura, o que se investiga não são críticas, não são ofensas. Até porque isso é muito pouco para que o Supremo precisasse investigar. O que se investiga são ameaças graves feitas, inclusive, na ‘deep web’, como foi já investigado pelo próprio Ministério Público de São Paulo”, argumentou. “É um verdadeiro sistema que vem se montando para retirar credibilidade das instituições”, continuou.

O ministro também explicou sua atuação, de atender a um pedido do colega e presidente da Corte, Dias Toffoli, alvo das reportagens da revista e que foram tratadas inicialmente como informações falsas. “Assim que chegaram os documentos, eu requisitei imediatamente a cópia integral do inquérito. Assim que ele chegou e eu constatei a presença desse documento, foi levantada a suspensão”, justificou.

Moraes foi questionado sobre se o processo não teria de ocorrer de forma inversa: primeiro haver a constatação de que se tratava de fake News para apenas depois impedir a circulação das informações pela revista. “Você não pode prejudicar a honra de uma pessoa quando há, como houve no caso, uma nota oficial da Procuradoria Geral da República”, alegou, acrescentando que o comunicado da PGR dizia que a instituição não tinha conhecimento de nenhum documento, pois nenhum documento havia chegado à casa. “Então, naquele momento, havia uma informação oficial – que não era nem sobre a validade ou não do documento, mas sobre a própria existência do documento”, argumentou.

Depois que foi constatada a existência do documento, segundo o ministro, o que vai ser investigado agora é o seu vazamento. “Como eu coloquei na minha decisão, ou foi um exercício de futurologia – pela matéria, já dizendo que já estava na Procuradoria e a PGR nem tinha conhecimento – ou alguém vazou. Vazamento é crime, principalmente vazamento de algo sigiloso de uma delação premiada ocorrida num caso importantíssimo.”

Sobre o fato de a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, ter atuado no sentido contrário ao do STF, Moraes preferiu uma saída diplomática. “A Doutora Raquel Dodge tem a sua opinião. É lícito que o Ministério Público tenha sua opinião”, disse ele, lembrando que atuou como promotor por mais de uma década – e que os membros do MP têm total autonomia funcional.

“O Judiciário não precisa concordar com as posições do MP. Até porque, e isso é importante ressaltar e constou em minha decisão, não necessariamente os crimes a serem investigados, os fatos a serem punidos serão de atribuição da PGR”, pontuou.Para o ministro, no entanto, a Suprema Corte vem sendo alvo de ataques sistemáticos e, por isso, precisou atuar. “Foi necessária a abertura de um inquérito por parte do Supremo Tribunal Federal porque inúmeros fatos foram ocorrendo. Vários ofícios partiram, nos últimos cinco seis meses, da presidência do Supremo pedindo alteração, e infelizmente não houve apuração devida. Isso concentra essa apuração para depois distribuir aos órgãos competentes.

//istoé

Compartilhar
Mundo/Segurança/Terrorismo

Presos no Sri Lanka suspeitos de ataques a igrejas e hotéis

Ataques deixaram mais de 200 mortos neste Domingo de Páscoa

Após a série de explosões simultâneas em três igrejas e três hotéis de luxo no Sri Lanka, que provocou a morte de mais de 200 pessoas neste domingo, 21, a polícia prendeu oito suspeitos. Todos são moradores do país, porém as autoridades supõem que também haja conexões com o estrangeiro, informou o chefe de governo Ranil Wickremesinghe.

Segundo balanços iniciais, entre os mortos no total de oito atentados há pelo menos 32 estrangeiros de oito países – Bélgica, China, Estados Unidos, Índia, Holanda, Portugal, Reino Unido e Turquia. No mínimo, 470 pessoas ficaram feridas.

Segundo as autoridades cingalesas, os primeiros seis ataques ocorreram por volta das 8h45 (horário local, 2h30 em Brasília). No momento das explosões, os templos católicos estavam celebrando o Domingo da Ressureição, uma das datas mais importantes do calendário cristão.

A capital, Colombo, foi alvo de pelo menos quatro explosões: em três hotéis de luxo e numa igreja. As outras duas igrejas atingidas ficam em Negombo, no oeste do país (região que abriga uma grande população católica); e em Batticaloa, no leste.

Poucas horas depois das seis explosões simultâneas iniciais, foram registrados mais dois atentados. Uma explosão atingiu um pequeno hotel em Dehiwala, um subúrbio de Colombo. Mais uma explosão foi registrada em Dematagoda, outro subúrbio da capital, e atingiu uma residência.

Sete pessoas foram presas por suspeita de participação nos ataques. Segundo a rede BBC, o governo disse que a maioria das explosões foi provocada por terroristas suicidas.

O governo informou que as escolas do país não devem funcionar até a próxima quarta-feira (24). Todos os policiais que estavam de folga foram convocados. Leia Mais

Compartilhar
Bahia/Economia

Conta de luz na Bahia fica mais cara a partir desta segunda-feira

Cerca de seis milhões de consumidores da Coelba serão afetados pela medida

A conta de luz vai ficar mais cara na Bahia a partir de amanhã (22) em função do reajuste médio de 6,22% nas tarifas de energia elétrica para o Estado, autorizado na semana passada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), responsável pela regulamentação do setor elétrico.

A taxa responsável pelo aumento está acima da inflação oficial do país (definido pelo Índice de preços ao Consumidor, o IPCA) em 2018, que ficou em 3,75%.

Cerca de seis milhões de consumidores da Coelba serão afetados pela medida. Entretanto, os clientes só vão perceber a variação, de maneira mais significativa, a partir do próximo mês, quando é entregue a fatura a ser paga no mês subsequente. Leia Mais

Compartilhar
Cultura/Vitória da Conquista

Tradição da queima de Judas resiste ao tempo e ainda acontece em Vitória da Conquista

Em brincadeira de amigos, ‘Judas’ recebeu o nome de Vitório, organizador do evento (Fotos do colaborador João Araújo)

Uma tradição antiga trazida ao Brasil pelos portugueses resiste ao tempo e ainda acontece em Vitória da Conquista. A Malhação ou Queima do Judas é uma manifestação cultural realizada na Semana Santa entre o Sábado de Aleluia e o Domingo de Páscoa. Faz alusão à traição do apóstolo Judas Iscariotes a Cristo. Durante o evento, o organizador faz a leitura de versos críticos e jocosos sobre os acontecimentos pitorescos da cidade, e também lê o famoso “testamento de Judas”.

Bonecos foi queimado sob aplausos dos presentes

Mas essa cultura popular que atraia milhares de pessoas está acabando. De um lado, há quem considere malhar o Judas uma violência; de outro, era uma cultura forte e presente nos meios populares, em especial nas regiões metropolitanas, onde hoje um número expressivo de pessoas virou evangélico, e as expressões culturais do catolicismo popular vão minguando.

É fato que Judas ou se enforcou (Mateus 27:5) ou se jogou de um barranco e se partiu ao meio (Atos 1:18). Escrevi que “malhar ou queimar o Judas no Sábado de Aleluia é, simbolicamente, agir à margem da Justiça oficial, o conhecido ‘fazer justiça com as mãos’: justiçar um traidor sem direito de defesa, motivo pelo qual muita gente é contra a tradição de origem católica e ortodoxa, trazida para a América Latina por espanhóis e portugueses. Justiçamento é uma coisa, e justiça é outra.

“No Brasil, está perdido no tempo o início do costume de julgar, condenar e executar o traidor de Cristo após a leitura do seu testamento, cujo conteúdo satírico é sobre a vida de alguma figura pública real ou salpicado de tiradas humorísticas sobre pessoas de destaque na vida local (bairro ou município), estadual ou nacional. Nada a ver com Judas Iscariotes, aquele que vendeu Cristo por 30 dinheiros.

“A criatividade brasileira transformou a malhação de Judas em uma sátira sobre amigos e vizinhos e/ou sátira política, razão pela qual a ditadura militar de 1964 vigiava as malhações para não permitir que personagens do ou a serviço do regime militar fossem alvo de chacota. Em alguns lugares, era preciso ‘tirar autorização na polícia’ para o evento, só concedida mediante a apresentação do testamento!”

Em Vitória da Conquista, terceira maior cidade da Bahia, a malhação de Judas ainda acontece, mas não com a mesma intensidade de antes, quando em praticamente todos os bairros da cidade se via , no Sábado de Aleluia, um boneco sendo incendiado sob aplausos e gritos da população, tipo: traidor, vagabundo, safado. Neste sábado, 20, houve queima de Judas no Bar Canto do Sabiá. O boneco ilustrava a imagem do presidente Jair Bolsonaro.  Leia Mais

Compartilhar
Bahia/Brasil/Educação/Geral

O drama dos professores brasileiros

Rede pública paga salários baixos, carece de condições materiais para uma boa educação e convive com um número excessivo de trabalhadores temporários

Se existe uma profissão desprestigiada hoje no Brasil é a de professor. Não se trata exatamente de um problema atual, mas de uma situação que se arrasta e não se resolve. Passam-se os anos e nada é feito para valorizar os profissionais do ensino. Além de sofrerem frequentes humilhações e violências em sala de aula, serem acusados, em tempos recentes, de doutrinação ideológica, ainda têm de conviver com uma baixa remuneração, que não corresponde à importância de seu trabalho. A hora aula de um professor da rede pública estadual de São Paulo, que está próxima da média nacional, atualmente gira em torno de 12 reais. Se der 40 horas aula por semana, 8 horas por dia, um professor iniciante concursado vai ter rendimentos de cerca de R$ 2,4 mil. O salário médio dos professores não é muito diferente do obtido, por exemplo, por uma empregada diarista, que, em São Paulo, cobra, em média, R$ 100 reais por dia. E está abaixo do piso salarial de um garçom, cuja remuneração base é de R$ 2,8 mil. Por questão de formação e conhecimento e pelo que significam para o futuro das crianças e adolescentes, os professores deveriam ganhar muito mais. Ouvido pela ISTOÉ, um professor veterano que não quis se identificar, chorou ao falar de sua condição financeira. Leia Mais

Compartilhar
Brasil/Internacional/Política

Barrado no museu: Quando soube que Bolsonaro seria homenageado no local, o Museu Nacional de História Natural, de Nova York, cancelou o contrato para o evento

O presidente Jair Bolsonaro passa por novo constrangimento internacional. Ao ser escolhido essa semana pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos como Personal of the Year (Pessoa do Ano), com a justificativa de que desenvolveu esforços para aproximar os dois países, Bolsonaro, provocou a ira de americanos que não concordam com a homenagem. Por conta das suas posições polêmicas, a organização do evento está com dificuldade para arranjar um lugar que receba a festa de entrega da premiação, marcada para o dia 14 de maio. Os lugares contatados pela produção se recusam a oferecer suas instalações para a festa, sobretudo depois das críticas contundentes de americanos proeminentes. Os ataques a Bolsonaro foram puxados pelo prefeito de Nova York. Leia Mais

Compartilhar