Bia

Últimas Noticias

POLITICA

Promotora se afasta do caso Marielle após repercussão de postagens em apoio a Bolsonaro

O Ministério Público do Rio informou nesta sexta-feira que a promotora Carmen Eliza Bastos de Carvalho foi afastada da investigação do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes. Desde quinta-feira, o órgão discutia se ela deveria deixar o caso diante da divulgação de fotos em que ela aparece demonstrando apoio ao presidente Jair Bolsonaro durante as eleições de outubro do ano passado e no início do governo dele. De acordo com o MP, o afastamento ocorreu a pedido da própria promotora.

A nota divulgada pelo MP afirma que designação de Carmen para o caso Marielle foi “definida por critérios técnicos, pela sua incontestável experiência e pela eficácia comprovada de sua atuação em julgamentos no Tribunal do Júri”. O órgão disse ter utilizado esses mesmos critérios ao designar casos complexos à promotora, de forma recorrente. No entanto, devido à implicação dos últimos acontecimentos ter “alcançado seu ambiente familiar e de trabalho”, Carmen optou voluntariamente por se afastar da apuração do caso.

As postagens da promotora mostram ela vestida, em outubro de 2018, com uma camisa estampada com o rosto de Bolsonaro. Em outra publicação, de 1º de janeiro deste ano, ela postou uma imagem da posse presidencial e escreveu: “Há anos que não me sinto tão emocionada. Essa posse entra naquela lista de conquistas, como se fosse uma vitória (…)”. Também há registro dela ao lado do deputado Rodrigo Amorim (PSL-RJ), que quebrou uma placa com o nome de Marielle no ano passado.

As fotos foram compartilhadas por Carmen em rede social e noticiadas pelo site “The Intercept Brasil” e pelo jornal “Folha de S.Paulo”. Com base nelas, a atuação da promotora passou a ser questionada por políticos e internautas, uma vez que houve menção a Bolsonaro em dois depoimentos prestados por um porteiro do condomínio em que ele vivia, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. A versão do profissional, no entanto, foi refutada por uma perícia requisitada pelo grupo de trabalho do qual Carmen faz parte.

Na quarta-feira, Carmen participou, junto com duas colegas, da coletiva de imprensa promovida pelo MP para apresentar o resultado da análise dos áudios da portaria do residencial Vivendas da Barra. Eles mostram que um dos suspeitos de executar Marielle, o policial militar reformado Ronnie Lessa, liberou a entrada do ex-PM Élcio de Queiroz, outro suspeito, no condomínio horas antes do crime. O porteiro ouvido pela Delegacia de Homicídios (DH) do Rio havia dito em dois depoimentos que Bolsonaro teria dado a autorização para a entrada de Élcio pelo serviço de interfone, cujos registros foram entregues voluntariamente pelo síndico e analisados pelo MP.

Carmen pouco falou com a imprensa no momento da apresentação dos resultados da análise. Quem mais respondeu aos jornalistas foi a promotora Simone Sibílio, coordenadora do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (GAECO). Ela e a promotora Letícia Emile, também presente na ocasião, foram as únicas responsáveis pelas investigações no MP antes de o caso chegar ao 4º Tribunal do Júri. Somente quando a denúncia foi recebida pela Justiça, Carmen foi incorporada aos trabalhos devido à experiência em casos criminais.

Leia a nota divulgada pelo Ministério Público:

“A Procuradoria-Geral de Justiça do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) reconhece o zeloso trabalho exercido pela Promotora de Justiça Carmen Eliza Bastos de Carvalho, que nos últimos dias vem tendo sua imparcialidade questionada no que afeta sua atuação funcional, por exercer sua liberdade de expressão como cidadã, nos termos do art. 5º da Constituição Federal. Assim como Procuradores e Promotores de Justiça, no cumprimento diário de suas funções, velam incansavelmente pela promoção dos Direitos Fundamentais, é compromisso da Instituição defender o Estado Democrático de Direito e a livre manifestação de pensamento, inclusive de seus membros.

A promotora Carmen Elisa Bastos ao lado do deputado Rodrigo Amorim, que destruiu a placa em homenagem à Marielle

A promotora Carmen Elisa Bastos ao lado do deputado Rodrigo Amorim, que destruiu a placa em homenagem à Marielle Foto: Reprodução

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (GAECO/MPRJ) esclarece que as investigações que apontaram os executores de Marielle Franco e Anderson Gomes foram conduzidas pelas Promotoras de Justiça Simone Sibilio e Letícia Emile Petriz. Findas as investigações, a Promotora de Justiça Carmen Eliza Bastos de Carvalho passou a atuar na ação penal em que Ronnie Lessa e Élcio Queiroz são réus, a partir do recebimento da denúncia pelo 4ª Tribunal do Júri da Capital. Sua designação foi definida por critérios técnicos, pela sua incontestável experiência e pela eficácia comprovada de sua atuação em julgamentos no Tribunal do Júri, motivos pelos quais Carmen Eliza vem sendo designada, recorrentemente, pela coordenação do GAECO/MPRJ para atuar em casos complexos.

Cumpre informar que, diante da repercussão relativa às postagens da promotora em suas redes sociais, a Corregedoria-Geral do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro instaurou procedimento para análise.

Nesta sexta-feira (01/11), o GAECO/MPRJ recebeu os pais de Marielle Franco, Marinete da Silva e Antônio Francisco da Silva, e a viúva de Anderson Gomes, Agatha Arnaus Reis, que defenderam a permanência de Carmen Eliza à frente do processo penal, em andamento no Tribunal de Justiça.

No entanto, em razão dos acontecimentos recentes, que avalia terem alcançado seu ambiente familiar e de trabalho, Carmen Eliza optou voluntariamente por não mais atuar no Caso Marielle Franco e Anderson Gomes, pelas razões explicitadas em carta aberta à sociedade.”

//extra

POLITICA

Delta Tankers, dona de navio suspeito de vazamento de óleo, diz que não foi procurada pelas autoridades brasileiras

ATENAS — A Delta Tankers LTD afirmou em nota nesta sexta-feira que a companhia grega não foi procurada pelas autoridades que investigam o vazamento de óleo em praias do nordeste brasileiro.

A Polícia Federal disse nesta sexta que o Bouboulina, navio de bandeira grega que transportava óleo venezuelano, é o responsável pelo despejo de óleo ao longo da costa brasileira, detectado há dois meses.

“Nem a Delta nem o navio foram procurados pelas autoridades brasileiras para tratar sobre a investigação”, afirmou a companhia no comunicado. (mais…)

POLITICA

Gilmar Mendes manda soltar Garotinho e Rosinha

Rio – O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), mandou soltar os ex-governadores do Rio de Janeiro Anthony Garotinho e Rosinha Matheus. O casal foi preso na manhã desta quarta-feira, em cumprimento de ordem da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio, que cassou um habeas corpus concedido ao casal pelo desembargador Siro Darlan. Trata-se da quinta prisão de Garotinho e da terceira de Rosinha.

Em sua decisão, o ministro impôs medidas cautelares alternativas à prisão. Entre elas, a proibição de deixar o País, de contatos com testemunhas e outros investigados, e o comparecimento mensal à Justiça. A decisão se dá após o desembargador convocado Leopoldo Raposo, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), negar habeas ao casal.

Garotinho e Rosinha são acusados pelo Ministério Público do Rio (MP-RJ) pelo superfaturamento de R$ 62 milhões em contratos celebrados entre a prefeitura de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, e a construtora Odebrecht, para a construção de casas populares dos programas Morar Feliz I e Morar Feliz II. Os crimes teriam acontecido durante os dois mandatos de Rosinha como prefeita, entre 2009 e 2017. Entre 2015 e 2016, seu esposo foi Secretário do município. (mais…)

POLITICA

Flordelis é suspeita de fraudar carta em que filho confessa morte de pastor

A Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo e o Ministério Público estadual encontraram indícios de que a deputada federal Flordelis dos Santos de Souza (PSD) fez parte de um “esquema de fraude de provas” relativas à morte de seu marido, o pastor Anderson do Carmo. Segundo documentos obtidos pelo EXTRA, dados extraídos dos celulares da parlamentar e de duas netas colocam sob suspeita uma carta escrita por um dos filhos de Flordelis, Lucas Cezar dos Santos, na qual admitiu participação no assassinato, o que sempre havia negado. Ele ainda acusou outro irmão, o vereador Wagner Andrade Pimenta, conhecido como Misael, de envolvimento no crime. Misael, filho afetivo de Flordelis, acusa a mãe de ser mentora intelectual da morte de Anderson.

Em documento enviado à 3ª Vara Criminal de Niterói no último dia 9, o promotor Sérgio Luís Lopes Pereira afirma, referindo-se à correspondência, que as apreensões dos telefones celulares evidenciaram uma farsa envolvendo a deputada. No dia 22 de setembro, em entrevista ao “Fantástico”, da TV Globo, Flordelis afirmou ter recebido da mulher de um preso a carta escrita por Lucas. Segundo ela, um de seus filhos foi quem recebeu a correspondência na porta de um presídio.

Pelos dados obtidos no celular de Flordelis, a polícia descobriu que a parlamentar se comunicava no Whatsapp com Andreia Santos Maia, mulher do preso Marcos Siqueira Costa, que estava no mesmo presídio dos filhos de Flordelis. Em uma das conversas, a deputada envia para a interlocutora um comprovante de transferência bancária de R$ 2 mil feito no dia 16 de setembro em nome de Flordelis para Jailton Reis Dantas. A polícia identificou que ele é cadastrado como visitante de Marcos. Em um trecho da conversa, a mulher diz a Flordelis que “pagaram o Lucas”.

Preso há 14 anos, Marcos Siqueira Costa é ex-policial militar e foi condenado a 480 anos e seis meses de prisão por participação na maior chacina do estado do Rio, a da Baixada Fluminense, em março de 2005. Na chacina, 29 pessoas foram mortas em Nova Iguaçu e Queimados. Em outro trecho da conversa entre Andreia e Flordelis, a mulher do ex-PM diz que o marido é muito respeitado na área da segurança. “Se você se sentir insegura, ele coloca alguém pra você, tá? O Flávio pediu, caso necessário”, escreveu Andreia.

Lucas (à esquerda) e Flávio (direita): audiência marcada para o fim do mês
Lucas (à esquerda) e Flávio (direita): audiência marcada para o fim do mês Foto: Reprodução

Na época em que escreveu a carta, Lucas estava preso com o irmão, Flávio dos Santos Rodrigues, mesma cela, no presídio Bandeira Stampa, conhecido como Bangu 9, na Zona Oeste do Rio. Antes de serem transferidos para o presídio, eles ficaram presos durante dois meses em carceragem distintas, na Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo. Em seu último depoimento à polícia, antes de ser transferido, Lucas afirmou que estava sendo coagido por Flávio a mudar seu depoimento.

No documento enviado à Justiça, o promotor Sérgio Luís Lopes Pereira afirma que o esquema de fraude de provas “passou pela inusitada colocação dos réus Flávio e Lucas na mesma cela em um presídio destinado a milicianos e policiais, o que nenhum dos dois é”. Lucas e Flávio acabaram separados por ordem judicial depois da divulgação da carta. Uma perícia será feita para confirmar se Lucas de fato escreveu a carta.

Um ofício da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) do Rio, enviada para a 3ª Vara Criminal de Niterói, também revela que dois advogados de Flávio visitaram Lucas na semana que antecedeu a divulgação da carta. Consta nos registros da Seap que Maurício Mayr e Flávio Crelier estiveram em Bangu 9 nos dias 17 e 18 de setembro para visitar Lucas. Na época, o rapaz era defendido pelo advogado Valter dos Santos, que deixou o caso após a divulgação da carta.

Um dos diálogos encontrados no celular de Flordelis ocorreu entre ela e seu advogado, Fabiano Migueis, no dia 10 de setembro. Eles convesam sobre a reconstituição e a deputada pergunta ao advogado se a reprodução dos fatos realmente ocorrerá “se conseguirmos a confissão do Lucas”. Em outra mensagem, a parlamentar afirma que o “marido da moça vai falar pra ele confessar. Ele só quer ter certeza que Vou perdoá-lo”.

Em outra conversa, no dia 11 de setembro, Fabiano Migueis pergunta a Flordelis se Lucas já escreveu a “outra carta”. Logo em seguida, a deputada afirma que “ela vai fazer o marido conversar com ele até ele confessar”. Fabiano afirma, então, que “é importante Lucas ficar em Bangu 9”. (mais…)

POLITICA

Eduardo Bolsonaro: ‘Se a esquerda radicalizar, resposta pode ser via um novo AI-5’

BRASÍLIA – O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro , afirmou que caso haja uma radicalização da esquerda a resposta pode ser via “um novo AI-5 “, que afronta a Constituição de 1988. A declaração foi dada em entrevista à jornalista Leda Nagle , publicada em um canal do Youtube na manhã desta quinta-feira.

— Vai chegar um momento em que a situação vai ser igual a do final dos anos 60 no Brasil, quando sequestravam aeronaves, quando executavam-se e sequestravam-se grandes autoridades, consules, embaixadores, execução de policiais, de militares. Se a esquerda radicalizar a esse ponto, a gente via precisar ter uma resposta. E a resposta, ela pode ser via um novo AI-5, via uma legislação aprovada através de um plebiscito, como aconteceu na Itália. Alguma resposta vai ter que ser dada — afirmou Eduardo. (mais…)

POLITICA

Alfinetada em Anitta? Ivete elogia Ludmilla no Prêmio Multishow: ‘Cantora mesmo’

Ivete Sangalo concorreu na categoria de melhor cantora do ano do prêmio Multishow com Ludmilla, que saiu vitoriosa. Nos bastidores do evento, a baiana era só elogios e afirmou que a funkeira era “cantora mesmo”, sem playback. No Rock in Rio, início da briga entre Anitta e Lud, a poderosa foi criticada por uma apresentação marcada pelo uso do playback. Seria uma alfinetada?

— Cantora mesmo, sabe cantora? Não é negócio de ‘pleura’ (playback) não. Na hora de gravar, ela canta. Tem uma performance e uma atitude que é transformadora.

Toda a confusão entre Anitta e Ludmilla começou justamente quando Ivete cantou o hit “Onda diferente” durante seu show no Rock in Rio. Ludmilla comemorou o fato da baiana cantar sua composição, e foi atacada por fãs de Anitta nas redes sociais. A canção acabou levando na terça-feira o prêmio de Música Chiclete do Ano, na premiação.

O hit foi gravado por Ludmilla, Anitta, o rapper americano Snoop Dogg e o produtor carioca Papatinho. A namorada de Brunna Gonçalves se revoltou com a ex-amiga por conta dos direitos da composição da música e chegou a tirar a poderosa da lista de compositores, alegando que a música estava pronta quando Anitta a recebeu para gravar participação.

Apesar de fazer parte de seu último CD “Kisses”, Anitta não subiu ao palco para receber o prêmio, que foi entregue a Papatinho e Ludmilla. Ao pegar o microfone, a cantora foi recebida com vaias e gritos de “Anitta!” por parte da plateia. Em resposta às vaias, Ludmilla literalmente rebolou em direção aos fãs de Anitta.

//extra

POLITICA

Com ciúme do ex, Luciana Gimenez bloqueia Antônia Fontenelle em rede social

Com ciúme do ex, Luciana Gimenez bloqueia Antônia Fontenelle em rede social

Os rumores de que Marcelo de Carvalho – que acaba de se separar da arquiteta Simone Abdelnur – estaria ficando com Antônia Fontenelle, parece ter deixado Luciana Gimenez bem desconfortável. Tanto que ela tratou logo de bloquear Antônia das redes sociais.
A coluna, ao tomar conhecimento da fofoca, ligou para Antônia, que confirmou a história: “sim, ela me bloqueou de tudo. Fiquei sem entender porque gosto da Luciana e definitivamente não estou com o Marcelo. Isso não passa de especulação”, esclareceu a apresentadora do ‘Na Lata’.
Antônia Fontenelle – Divulgação
Marcelo e Simone ficaram juntos pouco mais de um ano. Para quem não lembra, Simone era amiga de Luciana até o momento em que a arquiteta resolveu se envolver com o dono da RedeTV!.
Como manda a prática do bom jornalismo, a coluna procurou a assessoria de imprensa de Luciana Gimenez, que disse que a apresentadora não vai se pronunciar sobre o assunto.
//odia
POLITICA

Caso Marielle: áudio contradiz porteiro e mostra que Ronnie Lessa liberou entrada de Élcio Queiroz no condomínio de Bolsonaro

O Ministério Público do Rio informou nesta quarta-feira que o depoimento do porteiro do condomínio do presidente Jair Bolsonaro sobre a liberação da entrada do ex-PM Élcio Queiroz não é compatível com a gravação da chamada feita pelo interfone da portaria.

Em coletiva de imprensa, o MP afirmou que o áudio confirma que quem autorizou a entrada de Élcio no condomínio Vivendas da Barra, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, foi o sargento aposentado da Polícia Militar Ronnie Lessa. A gravação confirma que os dois acusados do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes se encontraram horas antes do crime no dia 14 de março de 2018.

Segundo o MP-RJ, embora a planilha de controle de entradas e saídas no condomínio indique que Élcio teria informado que iria à casa 58, a gravação mostra que houve contato da portaria com a casa 65. A voz do homem que atendeu o porteiro foi identificada pelos peritos do MP como sendo de Lessa, a partir de uma comparação com a voz dele registrada em depoimentos à Polícia Civil do Rio.

Segundo o MP-RJ, o porteiro pode ser processado por falso testemunho, caso seja comprovado que mentiu em depoimento. Em um primeiro momento, a promotora Simone Sibilio, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Autorizado (GAECO) responsável pelo caso, chegou a afirmar que o porteiro havia mentido.

— (O porteiro) Mentiu. As testemunhas prestam depoimento, e o MP checa. Nada passa sem ser checado — disse a promotora.

Quando questionada novamente se poderia dizer categoricamente que o porteiro mentiu, Sibilio evitou retomar a afirmação. Ela esclareceu que as informações relativas ao depoimento dele ainda serão apuradas.

— A prova técnica juntada aos autos mostra que no dia 14/03/2018 às 17h07, quem autoriza a entrada de Élcio Queiroz no condomínio é Ronnie Lessa.

Ao ser questionada se o porteiro pode ser processado, ela responde:

— Qualquer testemunha que mente, seja o porteiro ou qualquer outro, podem ser processados. Ele e todos os demais que mentem.

Fachada do condomínio Vivendas da Barra, onde mora o presidente Jair Bolsonaro
Fachada do condomínio Vivendas da Barra, onde mora o presidente Jair Bolsonaro Foto: Pablo Jacob

Em depoimento à Polícia Civil, encaminhado ao Ministério Público do Rio (MP-RJ), o porteiro disse que a entrada de Élcio foi autorizada por uma pessoa cuja voz ele identificou como a de “seu Jair” . Após constatar, através das câmeras de segurança, que o visitante se dirigia para outra casa, o porteiro informou ter ligado novamente para a residência 58 , e que “seu Jair” informou pelo inteforne que “sabia para onde Élcio estava indo”. Registros de presença na Câmara dos Deputados mostram, no entanto, que Bolsonaro estava em Brasília no dia 14 de março do ano passado.

A gravação também contradiz o registro de entrada da portaria que informa que Élcio teria ido para a casa número 58 de Bolsonaro.

— O porteiro pode ter lançado o número 58 por vários motivos. Esses motivos serão apurados — informou a promotora.

Sibilio também explicou que, devido ao registro relativo à casa do presidente Jair Bolsonaro, o presidente do Supremo Tribubal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, foi procurado, conforme estabelece a lei. Ela disse ainda que essa parcela da investigação, incluindo o depoimento do porteiro, permanecem sob o escopo da Corte por tratar dee uma autoridade com foro por prerrogativa de função.

Planilhas despertaram atenção recentemente

Ainda de acordo com o MP, as planilhas que registram as presenças do condomínio foram apreendidas em 5 de outubro deste ano. Quando Lessa foi preso, em março, as diligências no condomínio haviam contemplado apenas a casa 65, ligada a ele. No entanto, em outubro, após a perícia dos celulares apreendidos com ele, foi encontrada uma imagem da planilha enviada a ele por sua mulher, Elaine Lessa. O envio ocorreu quando ambos ainda estavam em liberdade.

Elaine enviou o conteúdo a Lessa no dia 22 de janeiro deste ano, véspera do depoimento dele à Polícia. Junto com a imagem que mostrava o pedido de Élcio para acessar o condomínio, Elaine escreveu: “Liga para o Élcio” e Lessa respondeu: “Ok”.

Quando o MP recebeu o resultado da perícia dos celulares de Lessa, no início de outubro, ordenou a apreensão da planilha e constatou, então, que constava uma anotação relativa à casa 58, onde vivia Bolsonaro.

Questionada se as planilhas deveriam ter sido recolhidas ainda em março deste ano, quando Lessa e Élcio foram presos, a promotora Letícia Emily, uma das responsáveis pelo caso, assumiu que a apreensão poderia ter ocorrido antes:

— Foi um erro de análise — classificou a promotora.

//extra

POLITICA

Após ausência no Teleton, Silvio Santos também cancela gravações no SBT

Uma forte gripe ‘derrubou’ o apresentador Silvio Santos, segundo o colunista Ricardo Feltrin, do UOL. Ele não participou do Teleton no último sábado (26) e também não participará de gravações de programas para o SBT.

Foi a primeira ausência de Silvio em 22 anos de Teleton, programa que arrecada fundos para a AACD. O apresentador fará 89 anos em dezembro e, por isso, o estado de saúde preocupa. Pessoas próximas a ele temem que a gripe evolua. (mais…)

POLITICA

Manchas de óleo são encontradas em praia de Una, no sul da Bahia

As manchas de óleo que atingem o Nordeste brasileiro foram detectadas hoje (28) no município de Una, no sul da Bahia. Com isso, o número de cidades contaminadas no estado sobe para 19.

O material também foi identificado na foz do Rio Itapicuru, no município de Conde, e na Praia dos Gringos, em Maraú. Em Una, a praia atingida foi a de Comandatuba. De acordo com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), pescadores chegaram a encontrar cerca de 40 quilos da substância e fizeram o trabalho de retirada do óleo.

//metro1

POLITICA

Dólar à vista fecha abaixo dos R$ 4 pela primeira vez desde 15 de agosto

Pela primeira vez desde 15 de agosto, o dólar à vista encerrou abaixo dos R$ 4 e também no menor nível desde então. No fechamento, a moeda marcou R$ 3,9925 (-0,38%). Na mínima intraday, foi a R$ 3,9734 (-0,86%). A queda é alinhada ao desempenho da moeda americana ante as pares de economias emergentes e também do Dollar Index (DXY), índice composto por seis moedas de países desenvolvidos. As perspectivas mais positivas sobre o confronto entre os gigantes do comércio global – China e Estados Unidos -, somadas a uma trégua no conflito sobre o Brexit, apoiaram o aumento do apetite a risco global. Um indicativo desse movimento é a nova queda do Credit Default Swap (CDS) de cinco anos do Brasil, um termômetro do risco-País, que era negociado nesta segunda-feira a 119 pontos. Na sexta-feira, o CDS fechou a 121 pontos. As cotações são da IHS Markit.

Também apoia o movimento a expectativa com o ingresso de dezenas de milhões de dólares com o leilão da cessão onerosa do pré-sal, programado para novembro. Em Riad, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que a Arábia Saudita deve participar do leilão, em novembro. Assim como fez na China, ele vai reforçar o convite aos sauditas na visita iniciada nesta segunda. “Todo o mundo está interessado no leilão do pré-sal”, declarou o presidente.

“As tensões lá fora arrefeceram. O entendimento entre Estados Unidos e China dá uma dose de alívio para o mercado, assim como o andamento do Brexit”, afirmou o operador da H.Commcor Cleber Alessie Machado Neto. Para o profissional, a aprovação da reforma da Previdência na semana passada também gera um alívio no mercado doméstico, que aguarda a decisão sobre a PEC paralela.

Sobre a Argentina, Machado Neto afirmou que ainda “é cedo para fazer uma leitura sobre o resultado da eleição” deste domingo. “O governo brasileiro afirmou que vai esperar para ver qual caminho o novo governo vai adotar. Nesta segunda os mercados não estão penalizando os ativos argentinos, como aconteceu após a primária. Não vejo por enquanto novo motivo para mau humor”, disse o operador da H.Commcor. Na avaliação do diretor da consultoria Portfolio Personal Inversiones (PPI), Lucas Gardiner, a transição de poder até 10 de dezembro na Argentina tem “probabilidade alta” de não ser caótica.

//istoé

POLITICA

Brasil retira exigência de visto para turistas do Qatar

Assim como fez na China, o presidente Jair Bolsonaro isentou a população do Qatar de visto para viagens de turismo, trânsito e negócios ao Brasil. O acordo é recíproco.

A liberação de visto foi assinada hoje (28), durante encontro com o emir (rei e chefe de Estado) do Qatar, Tamin Bin Hamad al Thani, no Palácio Real, em Doha.

(mais…)

POLITICA

Margareth Menezes lança ‘Autêntica’ em show no Mercado Iaô

O álbum traz uma música inédita composta por Gilberto Gil especialmente para a cantora: ‘Paraguassu’

Margareth Menezes apresenta no Mercado Iaô o show de seu novo álbum, “Autêntica”. A apresentação especial acontece no dia 1º de novembro, às 19h30, e os ingressos custam R$ 20 e R$ 10 (meia). Lançamento da Natura Musical, o disco tem produção do baterista e percussionista Tito Oliveira e é o primeiro trabalho de estúdio da cantora em 11 anos.

Com 13 faixas, o trabalho tem colaborações de nomes como Gilberto Gil, Luedji Luna, Carlinhos Brown, Jorge Vercilo, Larissa Luz e Nabiyah Be, filha de Jimmy Cliff, famosa por sua participação no filme “Pantera Negra” (2013). Entre as canções compostas pela própria Maga, destaca-se “Minha Diva, Minha Mãe”, com versos que dizem: “Que ninguém é melhor que eu/Nem por grana nem por cor/Que a origem do meu povo/Vem das mãos do criador”.

Outra faixa que merece menção é “Paraguassu”, composta por Gilberto Gil. A história é a seguinte: em 2000, quando dirigia o Percpan (Panorama Percussico Mundial), ao lado de Naná Vasconcelos, Gil convidou Margareth, Ivete Sangalo e Daniela Mercury para se apresentarem juntas, em encontro até então inédito.

De quebra, o baiano fez uma canção para cada uma das intérpretes. “Paraguassu” estava perdida na memória de Margareth, até ser recuperada para esta gravação. Aliás, a primeira da canção. “Ela também conversa com o feminino, pois fala das mulheres indígenas”, diz a cantora. Após estrear em Salvador, ela segue com o show para São Paulo.

SERVIÇO
O QUE: Margareth Menezes – Autêntica
ONDE: Mercado Iaô – Praça Conselheiro Nabuco, 33 – Ribeira
QUANDO: 1º de novembro, às 19h30

//metro1

POLITICA

MÃE DE 95 ANOS DE JORGE FERNANDO AINDA NÃO SABE DA MORTE DO DIRETOR

Aos 95 anos, a atriz Hilda Rebello, mãe de Jorge Fernando ainda não sabe da morte do filho. O ator e diretor morreu na noite do último domingo, aos 64 anos, vítima de uma parada cardíaca. A família está tomando as providências para contá-la. Maria Rebello, irmã do artista, está a caminho para dar a notícia, segundo informou ao EXTRA a cuidadora de Hilda. (mais…)

POLITICA

Diretor e ator Jorge Fernando morre aos 64 anos

São Paulo — O diretor e ator Jorge Fernando morreu neste domingo (27), aos 64 anos de idade. Segundo o site de notícias G1, ele estava internado no Hospital CopaStar, em Copacabana, Zona Sul do Rio, e faleceu por causa de uma parada cardíaca “em decorrência de uma dissecção de aorta completa”.

Fernando ficou afastado da TV por dois anos para se recuperar de um AVC e voltou às telinhas neste ano, dirigindo a novela das 19h, “Verão 90”.

O enterro do diretor será nesta terça-feira, 29, no cemitério do Caju, na Zona Norte do Rio de Janeiro. O velório, aberto ao público, será no mesmo local, das 8h às 10h.

//exame