25 de agosto de 2014 às 13:11

OPINIÃO – Vitória da Conquista: cidade em que o valor do metro quadrado justifica seu apelido europeu

POR GABRIEL OLIVEIRA*

577286_675496465813804_1925180823_n“Suíça Baiana”… Ah, como já me orgulhei de explicar esse apelido para visitantes que chegam a essa cidade maravilhosa. Vitória da Conquista é uma cidade sem praia, sem rios, sem serras ou matas aproveitáveis para fins turísticos. É uma cidade do sertão que, graças a uma rodovia e a um clima diferenciado do resto da Bahia, se constituiu enquanto terceira maior cidade do estado, primeiramente por conta da produção de café (por conta do clima) e escoamento da produção (graças à Rio-Bahia), e se tornou, posteriormente, destaque no nordeste e um polo de educação que cresce vertiginosamente. Como consequência desse rápido desenvolvimento, empreendimentos comerciais e residenciais, além de equipamentos públicos como universidades, centros de saúde e etc, tem ocupado áreas que há pouco tempo atrás ninguém pensava em investir. Percebam, caros leitores, que utilizei um verbo no passado quando me referi ao apelido desta cidade: “orgulhei”. Sim, é passado! A partir do momento em que compreendi o verdadeiro significado de se comparar Vitória da Conquista à Suíça, deixei de ter tanto prazer em denominá-la assim.

Independente do relacionamento com os pais, chega uma hora em que a pessoa quer alçar voos mais altos. O tipo de criação a que fui submetido me levou a crer que o primeiro grande investimento que se deve fazer é em sua futura moradia, seja adquirindo um terreno para construir sua casa da forma que quiser, seja comprando uma habitação já pronta, mas que te agrade e que contemple seus objetivos. Assim, a primeira coisa que fiz quando passei em um concurso público foi pesquisar e sair em busca de boas oportunidades. Já havia constatado os valores dos aluguéis e ouvido relatos de pessoas que saíram de suas cidades para trabalhar ou estudar aqui em Conquista, mas não tinha um valor referencial para comparar, visto que nasci e sempre morei nesta cidade.

Fui a campo, comecei a acessar sites gerais de venda e de imobiliárias e cheguei a uma constatação que para quem lê vai parecer clichê, mas é a realidade: a especulação em Vitória da Conquista é absurda! Quem é conquistense nato como eu ainda tenta justificar que é por que a cidade está em franco crescimento, que está sendo valorizada por investimentos, mas não, é balela! Como justificar tendo em vista que um terreno numa área deserta e nada propícia para uma residência, que não me vem a cabeça um empreendimento comercial que se tornaria rentável se instalado ali, chegar ao absurdo de 700 mil reais? Sinceramente, não dá. Terrenos pequenos e em bairros de classe média baixa? 150 mil reais. Um terreno numa área de classe alta (risos)? Prefiro nem imaginar.

Quando vi este anúncio do terreno de 700 mil reais me assustei, e mesmo não tendo conhecimento algum em imóveis, fui comparar com valores de uma casa de praia, e achei uma residência de luxo, com dois andares e uma estrutura fantástica, por um valor de 200 mil reais abaixo da mina de ouro (ou de petróleo, não sei) de Vitória da Conquista. Será que foram descobertas jazidas de diamante em Conquista e eu não fiquei sabendo? Pra mim, a única explicação é essa.

Comparação

Comparação

Como se não bastasse, ouvi, há algumas semanas, que já estão especulando terrenos para construção de condomínios no povoado de Pé de Galinha, local onde será construído uma grande arena de futebol. Haa, pegadinha do malandro! Vai ser construído um aeroporto de grande porte. Agora me digam, amigos, em que lugar do universo morar perto de aeroporto é bom? A situação de calamidade que é morar num lugar onde aeronaves extremamente barulhentas pousam e alçam voos 24 horas por dia já rendeu diversas reportagens às grandes redes de comunicação. E em Vitória da Conquista, cidade em que as grandes estruturas estão começando a ser construídas agora e a oportunidade de aprender com os erros das grandes cidades é latente, estão agindo da mesma forma “inteligente”.

A especulação imobiliária em Vitória da Conquista deveria ser alvo de estudos e de investigação dos órgãos da justiça, afinal, esse é o roubo mais descarado que já vi. Quem está iniciando a vida de maneira simples, como é o meu caso, não se sente estimulado a investir e fixar residência aqui. Aluguéis são um absurdo, o que afasta muita gente desta cidade. A mobilidade urbana também não favorece grandes investimentos.

Não é o clima de Vitória da Conquista que a torna comparável à Europa, afinal, o calor daqui é terrível quando aparece. A comparação é válida quanto ao custo de vida.

Será que vale a pena, do ponto de vista econômico, pagar tão alto por uma cidade sem grandes atrativos como Conquista. Não me julguem conterrâneos, eu amo Vitória da Conquista e a defendo com unhas e dentes, mas quando alguém que nutre um sentimento tão forte por uma cidade vê nela absurdos de tamanha natureza, é porque alguma coisa está errada.

*Gabriel Oliveira é estudante de Direito da UESB, servidor efetivo da Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista, diretor de jornalismo do Blog da Bia Oliveira e amante dos esportes, da fotografia e da vida.



Um cometário

  • Boa tarde Gariel!

    Concordo plenamente com você!
    Não é justo! O preço por metro quadrado de Conquista é comparado aos das capitais, onde se tem toda infraestrutura.
    Isso sem contar que faltar agua em nossa casa é quase “normal” e o povo já se acostumou com essa situação.

Deixe seu Comentário