25 de outubro de 2018 às 17:56

Justiça libera bens de assessor de Carletto e outros investigados na Operação Condotieri

As investigações contra Rodrigo Moreira foram iniciadas antes de ele ser empossado vereador

A Justiça Eleitoral liberou os bens de três investigados na Operação Condotieri, que apura um esquema de compra de votos nas eleições de 2016, liderado pelo vereador de Vitória da Conquista Rodrigo Moreira (PP).

Segundo decisão da juíza Arlinda Souza Moreira, Humberto Magalhães Souza, Vivaldo Gois de Oliveira e Walter Guimarães de Moraes Júnior já podem retirar de suas contas-correntes os valores devolvidos pela Justiça.

Os três são acusados de integrar o esquema que, segundo as investigações, oferecia empregos no novo presídio de Conquista, em troca de apoio na campanha e votos para Moreira. Além disso, a organização se utilizava da estrutura de outros órgãos públicos, como o Detran e a Zona Azul, para o mesmo fim.

Vivaldo, segundo o Bahia Notícias, é assessor parlamentar do deputado federal Ronaldo Carletto (PP). Em Conquista, Moreira foi apoiador de Carletto. Nas eleições deste ano, faria aliança na cidade com o deputado, que se reelegeu, e também com o deputado estadual Robinho (PP). Além de assessor parlamentar, Vivaldo chegou a assumir a presidência do Pros, em uma articulação comandada por Carletto, que tentou usar da estrutura do partido para ganhar musculatura política e obter uma vaga ao Senado na chapa majoritária do governador Rui Costa.

Humberto, segundo as investigações, era responsável por manter Moreira informado do esquema. Empresário, Walter foi alvo de uma operação no Rio em maio deste ano, que investigou indícios de direcionamento ilegal de uma licitação realizada em 2015 na cidade de Cabo Frio. Ele é sócio da Construtora Zadar, que, por sua vez, tem participação na empresa Expark, que venceu a licitação para gestão da Zona Azul em Conquista. //Bahia Notícias



Deixe seu Comentário