3 de maio de 2018 às 15:24

Guerra do PCC com CV e facções locais leva à alta de homicídios no nordeste

Crimes se tornaram frequentes na capital do Sudoeste da Bahia e nos municípios da Região Sudoeste

O alto número de homicídios em Vitória da Conquista tem impressionado a população e está ligado à guerra pelo rentável mercado de drogas. O triplo homicídio que aconteceu no último domingo na ‘Feira do Rolo’, foi mais um desdobramento da guerra entre facções criminosas lideradas por traficantes na zona Oeste da cidade e que seguem às disputas que ocorrem em âmbito nacional. Desde o ano passado, as duas maiores facções do país, Comando Vermelho (CV) e Primeiro Comando da Capital (PCC) estão em guerra.

A disputa por poder dentro dos presídios e pontos de vendas de drogas nas ruas tem origem na guerra que opõe o PCC ao CV. O maior grupo criminoso do Rio de Janeiro, o Comando Vermelho, é parceiro das facções regionais, que são contra a tendência monopolista do PCC.

Em Conquista as disputas por territórios envolvem integrantes das facções “K2“, uma alusão ao Comando Vermelho (o 2 representa o V que é feito com 2 dedos) e a  “Tudo 3” ou “333”, sob o comando de traficantes de Salvador.

Em algumas das pichações da facção Bonde do Maluco (BDM) espalhadas pela cidade de Salvador e Conquista, a sigla BDM vem acompanhada de ‘Tudo 3’ – um código que surgiu no sistema prisional e que faz referência à facção Caveira, representada também pelo 1533, sendo o 15 representa o P, que é a 15ª letra do alfabeto e o 33  é a letra C duas vezes, ou seja, PCC.

Segundo levantamento do MP-SP (Ministério Público de São Paulo), o Nordeste e o Norte já respondem por um terço de filiados do PCC. Os nove Estados nordestinos juntos teriam 3.818 filiados ao PCC. Na Bahia, segundo o Secretário de Segurança Pública Maurício Barbosa, o PCC alimenta com armas e drogas organizações criminosas como o Comando da Paz, Caveira, Catiara e o Bonde do Maluco. //Blog do Caique Santos



Deixe seu Comentário