POLITICA

Cesta básica fica mais barata em 10 capitais em junho, e mais cara em 7, diz Dieese

Segundo o Dieese, entre os produtos da cesta básica, as quedas mais relevantes foram as observadas nos preços do feijão, da banana e do café em pó

Os preços do conjunto de itens da cesta básica caíram em 10 capitais em junho e aumentaram em outras sete, segundo divulgou nesta quinta-feira (4) o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socieconômicos (Dieese). No acumulado nos primeiros meses do ano, entretanto, todas as 17 cidades pesquisadas registraram alta, entre 1,29% (Campo Grande) e 20,20% (Vitória).

Em junho, as quedas mais expressivas ocorreram em Brasília (-6,65%), Aracaju (-6,14%) e Recife (-5,18%). Já as maiores altas foram registradas em Florianópolis (1,44%), Rio de Janeiro (1,16%), Belo Horizonte (1,05%) e Campo Grande (1,03%).

São Paulo mantém o posto de capital com a cesta mais cara (R$ 501,68), seguida pelo Rio de Janeiro (R$ 498,67) e por Porto Alegre (R$ 498,41). Os menores valores médios foram observados em Aracaju (R$ 383,09) e Salvador (R$ 384,76).

Em 12 meses, todas as cidades acumularam alta, que variam entre 6,82%, em Belém, e 17,31% em Vitória.

Segundo o Dieese, entre os produtos da cesta básica, as quedas mais relevantes foram as observadas nos preços do feijão, da banana e do café em pó. Já o custo do leite integral, arroz agulhinha e açúcar aumentaram na maior parte das cidades.