25 de junho de 2018 às 19:20

Rui ‘Correria’ acelera liberação de emendas impositivas

Governador tem até 7 de julho para entregar tratores, viaturas, equipamentos de saúde e pequenas obras em municípios do interior (Foto: A Tarde)

Com um índice baixo de liberação de emendas parlamentares impositivas até abril, neste que é um ano eleitoral e deputados precisam mostrar serviço em suas bases, o governador Rui Costa (PT) corre contra o tempo até o dia 7 de julho, data limite prevista pela legislação eleitoral para execução das transferências, para dar conta da entrega de tratores, viaturas, equipamentos de saúde e pequenas obras em municípios do interior.

Do meio de maio para cá, Rui abriu a torneira das emendas, sobretudo para deputados de sua base aliada, deixando boa parte dos 20 deputados da oposição alijada, segundo acusam os próprios opositores.

Apesar de deputados da situação serem supostamente mais agraciados, as emendas liquidadas até abril estavam minguadas até mesmo para a base: somavam pouco mais de R$ 238 mil de um total empenhado de R$ 15,5 milhões – bem abaixo do total previsto para o ano, R$ 94,7 milhões. Cada deputado tem direito a destinar R$ 1,5 milhão aos municípios por meio de emendas.

Agora, a pouco mais de três meses para as eleições, Rui está destravando a liberação dos recursos. O governador tem viajado constantemente ao interior do estado nesta época de pré-campanha, entregando equipamentos e obras, sempre com os deputados a tiracolo. Na viagem que fez aos Irecê e João Dourado na última sexta-feira, por exemplo, quando entregou viaturas a policiais e outros equipamentos, fruto de emendas parlamentares complementadas com recursos do governo, lá estavam deputados estaduais José Neto (PT), Fabíola Mansur (PSB) e o presidente da Assembleia Legislativa, Ângelo Coronel (PSD) – que pleiteia o Senado na chapa majoritária -, além de deputados federais. Exemplos como este correm à farta nas redes sociais de Rui e de deputados da base.

A secretária de Relações Institucionais, Cibele Carvalho, disse de forma sucinta para A Tarde que estes números estão “defasados” e que as emendas estão sendo quitadas. Mas embora a Serin não tenha informado para A Tarde os números atuais, no último balanço de execuções de emendas parlamentares de janeiro a abril, lançado no Sistema Integrado de Controles Operacionais e Financeiros (Sicof), entre os 10 deputados que, na ocasião, tinham mais emendas liquidadas, ou seja, entregues, somente três eram da oposição.

Entre os seis deputados que não tinham um centavo sequer em empenhos (que antecedem às liquidações), somente um era da situação, Marcell Moraes (PV); os outros eram da oposição: José de Arimatéia (PRB) e Pedro Tavares, Targino Machado, Tom Araújo, Luciano Filho – todos os quatro últimos do DEM, partido cujo presidente nacional é o prefeito de Salvador, ACM Neto. //A Tarde

 



Deixe seu Comentário