24 de janeiro de 2019 às 20:55

Presidente da Câmara critica cancelamento de reunião pela Bahiagás e diz que não aceita politicagem

Presidente da Câmara diz que não está preocupado com mérito

O cancelamento da reunião dos vereadores de Vitória da Conquista com o diretor-presidente da Bahiagás, Luiz Raimundo Gavazza, marcada para a última terça-feira (22), está dando o que falar. O objetivo do encontro era tratar da inclusão do município no plano de expansão da empresa, tema levantado pelo vereador Luciano Gomes (PR), atual presidente do legislativo conquistense, em duas sessões ordinárias, uma no dia 7 de dezembro de 2018 e a outra no dia 12 do mesmo mês. A reunião foi desmarcada pela Bahiagás no final da tarde do dia 21, quando uma comissão de 11 vereadores se preparava para ir até a capital baiana dialogar com Luiz Gavazza.

Insatisfeito com o ocorrido, o presidente da Câmara, Luciano Gomes, classifica a atitude como desrespeitosa. A Bahiagás se propôs a remarcar para o dia 5 de fevereiro, após o encontro que ocorrerá em Vitória da Conquista, com a presença de Luiz Gavazza, para tratar do assunto em questão, mas o vereador argumenta que a questão é politica.

De acordo com Luciano Gomes, “sua reação ao episódio não se dá por ciúme, para tomar para si o mérito, e sim por entender que há interesse de um determinado grupo em usar a Câmara para depois descartá-la como se ela não tivesse dado a contribuição devida, como acontece com a questão do aeroporto, em que o legislativo teve papel fundamental e foi relegado a segundo plano, é porque a Câmara tem que ser respeitada como instituição séria que é”.

Ainda, conforme Gomes, a reunião da Câmara com a Bahiagás era para tratar da possibilidade ou não de Conquista ser incluída no plano de expansão, porque a partir dessa conversa seriam mobilizados todos os deputados apoiados por vereadores conquistenses, os quais, inclusive, poderiam ser convidados a participar da audiência do dia 31, para que pudessem engajar na luta do gasoduto. “Foi assim que Vitória da Conquista conseguiu um novo aeroporto, com a soma de esforços. Nós, os 21 vereadores que representamos essa cidade no legislativo, queremos isso, somar esforços, mobilizar o Governo do Estado, os nossos deputados na Assembleia Legislativa, na Câmara Federal e até a Presidência da República se houver necessidade, porque somos um legislativo forte e respeitado, nossa briga não é pessoal, é conjunta”, afirmou.

Mesmo com esses percalços, o presidente garantiu que vai participar da audiência do dia 31 por ser um assunto do interesse de Vitória da Conquista. “A Câmara de Vitória da Conquista não é omissa, ela tem quem responda por ela, só não vamos aceitar que as coisas sejam empurradas goela abaixo, somos a favor do gasoduto sim, porém não aceitamos politicagem e muito menos a política rasteira”, concluiu.

 

 

 



Deixe seu Comentário