3 de outubro de 2017 às 0:21

Morre Américo Xavier, o ‘guerreiro da cadeira de rodas’

Em Tanhaçu, com a família da Polícia Civil, da qual era fã

Morreu na tarde desta segunda-feira, 02, aos 65 anos, no Hospital Unimec, Américo Xavier Ribeiro, tio da jornalista Bia Oliveira. Cadeirante há 41 anos, após um acidente na Viação Novo Horizonte, Américo era cadeirante e morava, há alguns anos, no Município de Tanhaçu, onde possuía um imóvel rural.

Américo tinha 65 anos

O “guerreiro da cadeira de rodas”, como era chamado pelos familiares e amigos, nunca deixou que a imobilidade o tirasse de ação. Com a força do seu trabalho conseguiu criar a única filha, Eliana, hoje com 40 anos. Nunca reclamou da vida, prosseguiu sua jornada com fé, alegria e agradecimento a Deus por cada vitória obtida ao longo desse período. Submeteu-se a 17 cirurgias, perdeu os dois rins, entre outros problemas, mas lutou pela vida até o final.

Américo deixou a esposa Ana Nilza, a filha, dois netos, o genro Dé, o irmão Almerindo Xavier (Preto da Prescom Metais) e inúmeros sobrinhos, entre eles, a jornalista Bia Oliveira, o policial civil Zé Carlos, João da Van, Luiza, Eliete, Jair, Leda, Jailton, Jailton Filho e Cesar (árbitros de futebol), Suelen (enfermeira do Unimec),  entre outros.

Aos familiares e amigos, e à equipe médica e hospitalar do Hospital Unimec que o atendeu com amor e dedicação durante todos esses anos, principalmente na reta final de sua vida, dedicamos a Canção da Família, de Padre Zezinho, a pedido do próprio Américo, que era apaixonado por essa música. Que Deus possa abençoar todas as famílias, e a nossa também. Adeus meu tio, siga em paz!



Deixe seu Comentário