7 de setembro de 2019 às 15:26

Medicamento para asma grave é avaliado para incorporação no SUS

Estima-se que cerca de 10% da população sofre de asma

Com o objetivo de atender melhor o público que sofre de asma grave, além de evitar o agravamento da doença, o Ministério da Saúde abriu consulta pública para avaliar a incorporação do medicamento omalizumabe. Ele é indicado para o tratamento da asma alérgica grave em pacientes que não conseguiram o controle da doença apesar do tratamento preconizado.

No Brasil, estima-se que cerca de 10% da população sofre de asma, sendo que os casos graves da doença estão entre 5 a 10% do total dessa prevalência. Em 2008, a doença foi a 3ª maior causa de internação hospitalar pelo SUS, com cerca de 300 mil hospitalizações ao ano.

O tema segue para consulta pública para receber as contribuições da sociedade. É estimado que a incorporação do medicamento omalizumabe, de acordo com a análise de impacto orçamentário, tenha um custo de R$ 70 a 78 milhões no primeiro ano e R$ 486 a R$ 529 milhões aos cinco anos. A avaliação nos custos ocorre, pois ainda não se sabe exatamente quantas pessoas irão utilizar o medicamento. //A Tarde



Deixe seu Comentário