10 de abril de 2018 às 18:35

Mãe faz apelo por transferência de bebê com problema no coração

Bebê respira com ajuda de aparelhos (Foto: Arquivo pessoal)

Um bebê de dois meses, nascido na cidade de Ubatã, sul da Bahia, enfrenta problemas no coração e está internado no Hospital Geral de Ipiaú (HGI) há um mês. Ele aguarda por uma vaga em um leito pediátrico de Salvador desde a última quinta-feira (5).

Segundo a  mãe de Leonardo Davi, Sandra Jovem Almeida de Jesus, de 23 anos, o bebê nasceu com problema no coração. Ele respira com ajuda de aparelhos e se alimenta por meio de sonda.

“A situação dele é grave. Estou aqui [no HGI] com ele há mais de um mês e nada foi resolvido. Ninguém me dá nenhuma posição e eu estou desesperada”

A jovem contou ainda que, na segunda-feira (9), a criança passou mal e a suspeita dos médicos é de que ele tenha contraído uma infecção hospitalar.

Ainda conforme Sandra, um médico responsável por fazer o exame de ecocardiograma da criança informou que a cirurgia precisa ser feita antes de Leonardo atingir os três meses, por conta do estado debilitado dele. A criança completa os três meses na próxima segunda (16).

“O coração dele é complicado. Aqui não tem estrutura para ele ficar. Estou muito preocupada, pois não é fácil”

A Secretaria Municipal de Assistência Social de Ubatã informou que o caso está sendo acompanhado e a regulação para um hospital da capital já foi solicitada.

Conforme o órgão, a criança deu entrada no HGI no dia 10 de março para esperar pela cirurgia de correção do problema, sem necessidade de estar em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

No entanto, por conta de um agravo no quadro de saúde, ele precisa ser transferido para uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para aguardar o procedimento cirúrgico.

O órgão informou, no entanto que apesar da gravidade do caso de Leonardo, nos relatórios médicos não há determinação de um tempo em que a criança precise fazer a cirurgia, conforme informado pela mãe.

Em contato com a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), o G1 foi informado, por meio de nota, que a “Central Estadual de Regulação está buscando o leito especializado para transferir o bebê para outra unidade onde poderá fazer a cirurgia que necessita”.

A Sesab não disse se há previsão de quando a criança será transferida. //G1



Deixe seu Comentário