comentários posts

Educação/Vitória da Conquista

Nomeados novos reitor e vice-reitor da Uesb

Luís Otávio e Marcos Henrique vão cumprir o mandato de quatro anos

Os professores Luiz Otávio de Magalhães e Marcos Henrique Fernandes foram nomeados pelo governador Rui Costa, nesta terça-feira (29), para os cargos, respectivamente, de reitor e vice-reitor da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). A publicação está disponível no Diário Oficial do Estado desta quarta (30).

Professor em Vitória da Conquista, Luiz Otávio já foi coordenador do Colegiado de História por duas vezes e diretor do Departamento de História, da UESB. Leia Mais

Compartilhar
Greve/Vitória da Conquista

Caixa prorroga Feirão de Imóveis em Conquista até 03 de junho

O Feirão acontece no Centro Cultural Glauber Rocha

O Feirão de Imóveis iniciado na ultima sexta-feira (25), teve seu prazo prorrogado em decorrência da  greve dos caminhoneiros, e irá acontecer também neste final de semana de  1º a 03 de junho. A decisão em  ‘esticar’ o evento foi tomada pelos empresários do ramo da construção,  já que muitas pessoas enfrentaram problemas para conseguir se deslocar até o local.

De acordo com Luciano Bonfim, representante regional do Sindicato da Indústria da Construção do Estado da Bahia (Sinduscon-Ba),  devido as circunstâncias, aconteceu uma reunião com a Caixa Econômica Federal e ficou decidido,  manter o Feirão por mais um final de semana, considerando que a situação está sendo normalizada. O representante relatou também  que o  movimento da semana passada foi bom, e que as condições  de ofertas serão mantidas para os clientes de toda a região. Leia Mais

Compartilhar
Política/Sudoeste

Governador Rui Costa entrega sistemas de abastecimento de água em Ibicuí

Rui autorizou também licitações para implantação de Sistema de Abastecimento de Água e restauração da BA 263, no município de Ibicuí

A população de Ibicuí, no centro sul da Bahia, recebeu a visita do governador Rui Costa nesta quarta-feira (30), quando foram anunciados uma série de investimentos em obras de infraestrutura viária, abastecimento de água, além da reforma do estádio municipal. Dentre as ações, está a entrega de dois sistemas de abastecimento de água para as localidades de Riachão do Lopes e Roça Comunitária Ibicuí, que contaram com um investimento de R$ 470 mil.

“Estamos aplicando um investimento alto aqui na cidade, com obras importantes para a população. As ações realizadas hoje representam o compromisso do Governo em trabalhar para garantir melhor qualidade de vida às pessoas. Só posso agradecer a receptividade do povo e reafirmar que continuarei trabalhando com dedicação”, declarou o governador.

Na oportunidade, Rui Costa também autorizou o lançamento do edital para licitação da obra de implantação do Sistema de Abastecimento de Água para o povoado de Água Doce. Serão investidos mais de R$ 4,2 milhões no projeto que contará com 500 ligações domiciliares, beneficiando mais de 1.900 moradores.

Para a infraestrutura viária da região, o governador assinou a autorização para a licitação da obra que vai recuperar a BA-262, no trecho entre Ibicuí, Iguaí e Ponto do Astério. A obra contará com recursos de mais de R$ 12,3 milhões e será feita em um trecho de 36 quilômetros, beneficiando 74 mil habitantes. Além de Iguaí e Ibicuí, a recuperação também vai melhorar o deslocamento dos moradores de Firmino Alves, Santa Cruz da Vitória e Nova Canaã.

Estádio Municipal

Ainda em Ibicuí, Rui Costa assinou ordem de serviço para o início das obras de recuperação do Estádio Municipal Carlos Roberto Rodrigues. O investimento é de mais de R$ 598 mil e contempla serviços de recuperação do gramado, iluminação do campo, recuperação e cobertura de arquibancada, sanitário público, bar e quadra de areia. Leia Mais

Compartilhar
Economia/Vitória da Conquista

Filas quilométricas nos postos de combustíveis são registradas em Vitória da Conquista

O comboio de combustível foi escoltado pelas polícias militar e rodoviária federal (Fotos: Blog do Leo Santos)

Na noite de terça-feira (29), Vitória da Conquista recebeu um comboio com 39 caminhões de combustível e nove de botijões de gás. Parte dessa carga ficou na cidade e o restante seguiu para cidades do Norte de Minas Gerais. Por segurança, os veículos foram escoltados pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) e pela Polícia Militar (PM) até os pontos de abastecimento. Assim que as informações sobre a chegada de combustível circularam nas redes sociais, centenas de motoristas se deslocaram para os postos, alguns ficaram horas aguardando os caminhões para abastecer os veículos.

Filas nos postos começaram na noite de terça-feira, 29

As filas quilométricas nos postos permanecem nesta quarta-feira (30), véspera de feriado de Corpus Christi. Por toda cidade verifica-se uma grande quantidade de veículos em fila para abastecer, mas a quantidade do produto ainda é limitada para que todos possam ser favorecidos. A estimativa é uma média de 20 litros por pessoa, e está suspensa a entrega do combustível em galões para evitar comercialização externa a preços exorbitantes. A expectativa é que até o final da semana a situação seja normalizada.

Gasolina / Postos

No Posto São  Jorge da Rodoviária o valor máximo de abastecimento por veículo é de R$ 100. No Posto São Jorge da Brumado, o abastecimento por cada veículo é de apensa R$ 50, ambos os postos praticam o preço de R$ 4,69 por litro; Posto Luciano da Avenida Brumado e Posto BR Zona Sul da Avenida Luiz Eduardo estão abastecendo desde às 6 horas da manhã; Posto Passarela da Avenida Frei Benjamim, está sendo praticado o preço de R$ 4,65 por litro de gasolina,  somente em dinheiro; a rede de Posto Pantanal está abastecendo R$ 100 por cada veículo ao preço de R$ 4,79 por litro.

Compartilhar
Bahia/Greve

Bahia perde 170 mil frangos por dia com greve de caminhoneiros

Acostumadas a se alimentar durante 24 horas, as aves não resistem à falta de ração e morrem nas granjas

Com a greve dos caminhoneiros, que chegou ao 9º dia nesta terça-feira (29), cerca de 170 mil frangos morrem por dia na Bahia, segundo dados divulgados pela Federação da Agricultura e Pecuária do estado (Faeb).

Em Governador Mangabeira, a cerca de 140 quilômetros de Salvador, até ontem, 28, uma única granja perdeu mais de 50 mil frangos que morreram por falta de alimento e teve um prejuízo de cerca de R$ 400 mil, segundo a Associação Baiana de Avicultura (ABA).

E a situação deve ainda piorar. A projeção, conforme a Federação da Agricultura e Pecuária é de que a partir desta terça-feira, o número de aves mortas por dia passe a ser de 500 mil.

Por causa dos bloqueios dos caminhões em rodovias federais e estaduais de todo o país, as granjas de regiões produtoras ficam desabastecidas, sem milho, sorgo e sem insumos para alimentar as aves. Mortes de frangos já foram registradas ainda em granjas dos municípios de Conceição da Feira e Santo Antônio de Jesus. Caçambas e até retroescavadeiras são utilizadas para retirar os animais mortos das granjas.

“As aves, hoje, estão uma canibalizando a outra, comendo a carne da outra tentando sobreviver. É um momento dramático, além do prejuízo com a fruticultura, na pecuária de leite. Todas as atividades pagam um preço um pouco caro disso e que a gente entende que precisa ser resolvido rapidamente pelo governo federal e pelo governo do estado com ações emergenciais para minimizar esses prejuízos”, afirmou o presidente da Faeb, Humberto Miranda.

Conforme a Associação Baiana de Avicultura, o estado conta hoje com 17 milhões de aves e, se todas morrerem, o prejuízo pode chegar a R$ 70 milhões.

Em toda a Bahia, segundo a ABA, há 12 frigoríficos de frangos e 485 granjas. Eles abastecem o mercado baiano, o de estados vizinhos e até importam para outros países. Em muitos deles, segundo o órgão, o estoque de alimentos para as aves terminou na sexta-feira (26).

“A situação nos planteis está calamitosa, muito preocupante, porque, com a greve, não chega ração. As aves morrem em questão de horas. E, se continuar desse jeito, vai virar caso de saúde pública, porque não vai local onde descartar tantas aves mortas”, disse a diretora executiva da ABA, Patrícia Nascimento. Leia Mais

Compartilhar
Transporte/Vitória da Conquista

Empresas de transporte coletivo de Vitória da Conquista operam com 100% da frota, mas movimento nas ruas é pequeno

Frota de coletivos circula normalmente

Na manhã desta terça-feira, 29, as empresas de transporte coletivo de Vitória da Conquista funcionaram com 100% da frota de veículos. Mesmo com o transtorno da falta de combustível provocado pela greve dos caminhoneiros que já dura nove dias, a Cidade Verde e a Vitória estão circulando normalmente, garantindo segurança e tranquilidade à população da terceira maior cidade da Bahia.

As duas empresas conseguiram adquirir combustível ontem (28), o que proporcionou que toda a frota estivesse disponível.

A servidora Camila Brito, moradora do Assentamento Amaralina, disse que o retorno do transporte deu tranquilidade aos moradores. “Sexta-feira não tivemos ônibus na Santa Marta, nem pude descer para trabalhar porque não tínhamos transporte e nem combustível, hoje já melhorou um pouco, espero que amanhã também não haja problema no deslocamento”, disse.

Mas mesmo com o transporte circulando, o movimento nas ruas do centro de Vitória da Conquista é pequeno. A população que não tem compromisso de trabalho está preferindo ficar em casa. O resultado são lojas e bancos vazios por falta de clientes. “Hoje vim receber dinheiro e pagar umas contas para não correr juro, porém já estou retornando, porque em tempos de crise o conselho é evitar gastos desnecessários”, disse o aposentado José Américo da Silva.

Nas feiras livres, o número de frequentadores também diminuiu. Para dona Maria, vendedora de biscoitos, as  profecias bíblicas estão se cumprindo. “É o fim do mundo, o Papa Francisco está mandando a gente rezar muito, não só pelo que está acontecendo no Brasil como também no mundo, as guerras e conflitos, as pessoas estão revoltadas com tanto descaso, nunca vi isso em minha vida, acho que o fim tá próximo”, profetizou.

Compartilhar
Comércio/Vitória da Conquista

CDL divulga horário de funcionamento do comércio em junho

Ruas já estão ornamentadas para o período junino

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Vitória da Conquista já divulgou os horários de funcionamento do comércio no mês de junho, para que os consumidores possam se programar para as compras. O horário foi acordado entre os Sindicatos do Comércio Varejista e Atacadista, dos Empregados do Comércio e a Câmara de Dirigentes Lojistas – CDL. Leia Mais

Compartilhar
Greve/Vitória da Conquista

Órgãos municipais funcionam em caráter de “turnão” por causa da greve

Decisão foi adotada durante reunião de emergência

Na manhã de domingo (27), o prefeito Herzem Gusmão reuniu, no Salão Nobre do Gabinete Civil, secretários municipais e o Comitê de Gerenciamento de Crise instituído pelo Decreto nº 18.659. Em pauta, as ações emergenciais necessárias para garantir a manutenção de serviços essenciais para a população durante a paralisação nacional dos caminhoneiros, iniciada no último dia 21.

O comitê foi criado com a finalidade de enfrentar a situação de emergência declarada no município, por meio do mesmo decreto. Ele deve propor e adotar medidas preventivas ou reparadoras relacionadas, por exemplo, à saúde, coleta de lixo, serviços e defesa civil.

Todos os secretários explanaram sobre as dificuldades e as necessidades emergenciais de cada pasta. Ponto a ponto foi delicadamente estudado – um deles sobre o abastecimento de água na zona rural. Dos 18 caminhões, apenas quatro estão conseguindo abastecer. Assim, a Defesa Civil está, como medida de emergência, realizando ações de purificação das águas colhidas das chuvas e armazenadas em alguns reservatórios particulares para amenizar o impacto para a comunidade.

O Governo Municipal publicará um novo decreto que dispõe sobre o funcionamento dos órgãos municipais em caráter de “turnão” das 8h às 13h. Para os cargos comissionados, está mantido o horário de trabalho normal. Além disso, o decreto também estabelece a suspensão das aulas na Rede Municipal de Educação até nova orientação.

As Unidades Básicas de Saúde (UBS) e Unidades de Saúde da Família (USF) da zona rural também não vão funcionar até que a situação seja normalizada. Sobre o funcionamento das unidades da zona urbana, o mesmo será informado no fim da tarde deste domingo (27). A frota de veículos que atua no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192) segue em atendimento.

A fiscalização do Procon para evitar cobranças abusivas em produtos comercializados na cidade está mantida. No Esaú Matos, estão sendo prestados os serviços essenciais. Leia Mais

Compartilhar
Greve/Vitória da Conquista

Greve reduz frota de veículos nas ruas de Vitória da Conquista

Taxistas utilizam álcool de supermercado para garantir o abastecimento

A greve dos caminhoneiros que nesta segunda-feira (28) chega ao 8º dia alterou a rotina na terceira maior cidade da Bahia. O número de veículos nas ruas é pequeno, pois não há combustível para abastecer os carros. Apenas 15% da frota de táxi está nas ruas, e os motoristas já trabalham ‘na reserva’ e não tem mais como abastecer. Alguns estão usando álcool adquirido nos supermercados para abastecer os veículos.

O transporte coletivo também está com a frota reduzida. A Cidade Verde colocou 50% da sua frota nas ruas, atendendo a demanda de passageiros que precisa sair de suas casas para trabalhar. Leia Mais

Compartilhar
Brasil/Economia

Em nova tentativa de pôr fim à greve de caminhoneiros, Temer anuncia redução de R$ 0,46 no litro do diesel por 60 dias

O presidente informou que o corte de R$ 0,46 se dará com a redução a zero das alíquotas do PIS-Cofins e da CIDE sobre o diesel

O presidente da República, Michel Temer, anunciou nesse domingo (27) novas medidas para a redução no valor do diesel, em mais uma tentativa de por fim à paralisação dos caminhoneiros que já dura 7 dias e provoca desabastecimento em várias partes do país.

Entre as medidas anunciadas está a redução de R$ 0,46 no preço do litro do diesel por 60 dias, e a isenção de pegamento de pedágio para eixos suspensos de caminhões vazios (leia mais abaixo neste texto).

Durante entrevista após o pronunciamento de Temer, o ministro Carlos Marun (Secretaria de Governo) afirmou que essa redução de R$ 0,46 no preço do diesel custará ao governo R$ 10 bilhões e que os recursos serão cobertos pelo Tesouro via crédito extraordinário.

Na quinta (24), o governo já havia anunciado uma série de medidas para atender às reivindicações dos caminhoneiros e colocar fim à paralisação.

Entre as propostas estava a redução a zero da alíquota da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide), em 2018, sobre o óleo diesel; e a manutenção, por 30 dias, de uma redução de 10% no valor do diesel nas refinarias, que havia sido anunciada pela Petrobras, redução pela qual a empresa seria ressarcida pela União.

O movimento do governo, porém, não surtiu efeito, e os caminhoneiros mantiveram a paralisação. Diante disso, Temer autorizou o uso das Forças Armadas para desbloquear as estradas e editou um decreto permitindo ao governo assumir o controle de caminhões. Leia Mais

Compartilhar
Brasil/Economia

Abastecimento de carne de aves e suínos pode levar até 2 meses para voltar ao normal depois da greve, diz ABPA

O mercado de carne suína e de aves é um dos mais afetados pela greve

O abastecimento de carne de aves e suínos pode demorar até dois meses para se normalizar depois que for encerrada a greve dos caminhoneiros. A estimativa foi divulgada neste domingo pela entidade que representa o setor, a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

Segundo a associação, até agora 64 milhões de aves adultas e pintinhos já morreram. “A associação lamenta anunciar que a mortandade animal já é uma realidade devido à falta de condições minimamente aceitáveis de espaço e quantidade de ração”, disse em nota.

O número de animais que não estão recebendo alimentação suficiente por falta de ração é de 1 bilhão de aves e 20 milhões de suínos. Com isso, há risco de canibalização entre os animais. Em várias cidades, já há relatos de dificuldades de abastecimento.

Frigoríficos parados

A greve levou à suspensão das atividades em 167 unidades de produção de carne suína e de aves. O número representa mais de 234 mil trabalhadores com suas atividades interrompidas.

Além do mercado interno, há impacto ainda nas exportações de carne. Até agora, ainda de acordo com a ABPA, 100 mil toneladas de carne de aves e de suínos deixaram de ser exportadas. A entidade estima que o impacto seja de US$ 350 milhões. Leia Mais

Compartilhar
Bahia/Greve

Com greve de caminhoneiros, granjas ficam sem alimentos e 50 mil aves morrem no interior da Bahia

Granjas estão desabastecidas, sem milho, sorgo e sem insumos para alimentar as aves

Mortes de frangos já foram registradas em granjas dos municípios de Conceição da Feira, Santo Antônio de Jesus, e Governador Mangabeira. Conforme a ABA, somente no município de Governador Mangabeira foram contabilizadas, neste sábado, cerca de 50 mil aves mortas.

Caçambas e até uma retroescavadeira foram utilizadas para retirar os animais mortos dos locais. O órgão disse que não é possível, ainda, precisar quantas aves já morreram em todo o estado e nem o prejuízo.

“A situação nos planteis está calamitosa, muito preocupante, porque, com a greve, não chega ração. As aves morrem em questão de horas. E, se continuar desse jeito, vai virar caso de saúde pública, porque não vai local onde descartar tantas aves mortas”, disse a diretora executiva da ABA, Patrícia Nascimento.

Em toda a Bahia, segundo a ABA, há 12 frigoríficos de frangos e 485 granjas. Eles abastecem o mercado baiano, o de estados vizinhos e até importam para outros países. Em muitos deles, segundo o órgão, o estoque de alimentos para as aves terminou na sexta-feira (26). Leia Mais

Compartilhar
Transporte/Vitória da Conquista

Empresa de ônibus do transporte municipal de Vitória da Conquista para de rodar neste sábado

Coletivos da  Vitória não saíram da garagem da empresa

Uma das duas empresas de ônibus que operam o transporte municipal de Vitória da Conquista, na região sudoeste da Bahia, parou de circular neste sábado (26).

Os coletivos da Viação Vitória, que transporta cerca de 40 mil passageiros por dia, cuja frota já estava reduzida por causa da falta de combustíveis nos postos da cidade em decorrência da greve de caminhoneiros, não saíram das garagens por conta de um atraso de salários dos funcionários.

A empresa, que até a sexta-feira estava operando com 43% do efetivo (35 veículos), conta com uma frota total de 86 veículos, que atendem 27 linhas.

A outra empresa de ônibus, a Cidade Verde, opera com 51% da frota (40 veículos), também por causa da escassez de combustível na cidade.

Por meio de nota, a Viação Vitória informou que 100% da frota encontra-se retida na garagem por decisão do Sindicato dos Rodoviários.

A empresa destacou que a entidade sindical se antecipou e não respeitou o prazo estabelecido de aguardar até a próxima terça-feira (29) para que a Viação pudesse quitar as pendências salariais. O G1 ainda não conseguiu contato com o sindicato na manhã deste sábado. Leia Mais

Compartilhar
Brasil/Política

Governadores reclamam de pedido de Michel Temer aos estados para renúncia de ICMS sobre diesel

Ministro da Fazenda, Eduardo Guardia disse que só vão adotar a medida os estados que quiserem, não é uma imposição

Governadores de estados do Nordeste e Minas Gerais divulgaram carta neste sábado (26) com críticas ao pedido do governo federal aos estados para que avaliem ajustes no ICMS ( Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços ) e, assim, “contribuir”, pelo fim da paralisação de caminhoneiros contra a alta do diesel.

Na carta, os governadores criticam, ainda, política de reajuste de preço dos combustíveis. A paralisação dos caminhoneiros chegou ao sexto dia.

“Neste grave momento, quando irrompe um movimento radical que – justificado pela desenfreada escalada de reajustes – bloqueia os canais de distribuição de combustíveis e coloca em risco a mobilidade, a saúde, a segurança e a integridade física de milhões de brasileiros, o Governo Federal tenta fugir às suas responsabilidades convocando os governos estaduais – já tão sacrificados pela injusta concentração de recursos na União – a renunciar às suas receitas do ICMS, supostamente para atender demandas dos representantes dos transportadores participantes da paralisação”, afirmam os governadores.

O ICMS é um imposto estadual sobre mercadorias e serviços e tem uma base variável, ou seja, um percentual sobre o preço cobrado. Com isso, se o produto ou serviço fica mais caro, também sobe o valor pago com o imposto.

Na sexta-feira (25), em encontro de secretários estaduais de Fazenda e representantes do governo, o presidente Michel Temer fez um apelo aos estados sobre a possibilidade de rever o imposto.

“Eu devo até dizer que no dia de ontem eu estive no Rio de Janeiro a tardezinha, e o governador Pezão já reduziu o valor. Sequentemente estive em Minas Gerais, conversei com o governador Pimentel, e quando falei da necessidade de reduzir ICMS, houve aplauso de mais de 2 mil integrantes dessa solenidade. Então aquilo que o senhores puderem fazer estão fazendo pelo Brasil – em uma ação federativa conjugada, entre União e estados”, disse o presidente Michel Temer.

Na terça-feira (29), haverá reunião do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) para que os estados votem as propostas feitas pelo governo federal aos estados. Segundo o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, só vão adotar a medida os estados que quiserem, não é uma imposição.

Umas das propostas do governo, prevê a incorporação imediata, na base de cálculo do ICMS, da redução de 10% (cerca de R$ 0,25 na bomba) no preço do diesel anunciada pela Petrobras.
A segunda é que o reajuste da base de cálculo do ICMS serei feita somente a cada 30 dias e não mais 15, como determina a lei atual.

“É uma alternativa que se coloca aos estados. Então os estados, se não quiserem aderir, eles podem permanecer na situação atual. O que está sendo proposto não é uma imposição aos estados. Nós estamos dando uma alternativa aos estados que concordarem com esses dois movimentos”, declarou o ministro nesta sexta-feira (25). Leia Mais

Compartilhar
Brasil/Greve

Temer autoriza uso de forças federais para desbloquear rodovias

Em seu pronunciamento, Temer disse que uma “minoria radical” está impedindo que muitos caminhoneiros cumpram o acordo e voltem a transportar mercadorias

O governo federal autorizou o uso de forças federais de segurança para liberar as rodovias bloqueadas pelos caminhoneiros caso as estradas não sejam liberadas pelo movimento. O anúncio foi feito há pouco pelo presidente Michel Temer, em pronunciamento no Palácio do Planalto. A decisão foi tomada após reunião no Gabinete de Segurança Institucional (GSI), que contou com a participação de ministros e do presidente.

“Quero anunciar um plano de segurança imediato para acionar as forças federais de segurança para desbloquear as estradas e estou solicitando aos governadores que façam o mesmo. Não vamos permitir que a população fique sem os gêneros de primeira necessidade, que os hospitais fiquem sem insumos para salvar vidas e crianças fiquem sem escolas. Quem bloqueia estradas de maneira radical será responsabilizado. O governo tem, como tem sempre, a coragem de dialogar; agora terá coragem de usar sua autoridade em defesa do povo brasileiro.”

Ontem (24), os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Eduardo Guardia (Fazenda) e Carlos Marun (Secretaria de Governo) anunciaram acordo para suspensão dos protestos da categoria por 15 dias. Depois disso, as partes voltarão a se reunir.

Hoje (25), no entanto, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que ainda não registra desmobilização de pontos de manifestação de caminhoneiros nas rodovias do país.

Em seu pronunciamento, Temer disse que uma “minoria radical” está impedindo que muitos caminhoneiros cumpram o acordo e voltem a transportar mercadorias. O presidente enfatizou que o governo atendeu às principais demandas da categoria. “O acordo está assinado e cumpri-lo é naturalmente a melhor alternativa. O governo espera e confia que cada caminhoneiro cumpra seu papel.”

O ministro Eliseu Padilha disse, também nesta sexta-feira, que o governo confia no cumprimento do acordo firmado ontem com as lideranças do movimento.

A decisão de suspender a paralisação não foi unânime. Das 11 entidades do setor de transporte, em sua maioria caminhoneiros, que participaram do encontro, duas delas, a União Nacional dos Caminhoneiros (Unicam) e a Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), que representa 700 mil trabalhadores, recusaram a proposta. Leia Mais

Compartilhar
Bahia/Greve

Greve dos caminhoneiros causa falta de abastecimento de alimentos e redução na frota de ônibus na Bahia

Na Ceasa de Conquista, muitos alimentos já estão em falta

A greve de caminhoneiros contra aumento no valor do diesel, que fecha estradas em todo o país pelo 5º dia consecutivo, nesta sexta-feira (25), causa falta de abastecimento de alimentos e redução de frota de ônibus em Salvador e alguns municípios do interior do estado. Também foi recomendado que a população economize água durante a paralisação, por conta da falta de produtos usados no tratamento da água.

Combustível

O Sindicato de Postos de Combustíveis da Bahia (Sindicombustíveis) informou que 95% dos postos não têm estoque para abastecer os clientes nesta sexta-feira.

A Transalvador anunciou que os motoristas que ficarem com os carros parados na pista, por conta da falta de combustível, não serão multados pelo órgão, enquanto durar a crise no abastecimento da cidade.

Alimentos

O Centro de Abastecimento (Ceasa) de Simões Filho, na região metropolitana de Salvador, teve nesta, sexta-feira (25), abastecimento 20 vezes menor do que a média. O espaço, que em dias normais recebe 400 caminhões, nesta sexta teve apenas 20.

Segundo os vendedores do local, os produtos pararam de chegar desde a quarta-feira e, nesta sexta, a situação ficou pior. A carga de banana da prata e de ovos já acabou no Ceasa, enquanto a de batatas está prestes a terminar. O preço do saco da batata subiu de R$ 60 para até R$ 500, uma alta de 833%. Os preços do tomate e da cebola subiram 28% e 10%, respectivamente.

Comerciantes da feira no bairro Sete Portas, em Salvador, dizem que a situação deve piorar ao longo desta sexta-feira (25). No local, faltam batatas e bananas da prata. Ovos também estão prestes a acabar, mas os comerciantes dizem que os preços não subiram para os consumidores.

Transporte público

A capital baiana opera com 80% da frota de ônibus nesta sexta-feira. O plano de contingência, que estava previsto para começar no sábado (26), foi antecipado pela Secretaria de Mobilidade de Salvador (Semob), por conta das escassez de combustíveis nos postos da cidade.

Outros municípios no interior do estado também lidam com a redução de veículos do transporte público. Em Feira de Santana, a cerca de 100 km da capital baiana, a frota de ônibus para os moradores é de 70% até as 17h desta sexta-feira. Com o aumento no fluxo de passageiros depois deste horário, a frota será normalizada até as 19h. Depois disso, a redução será retomada.

Em Vitória da Conquista, na região sudoeste, o transporte coletivo foi reduzido em 30% e os ônibus que estão circulando fazem rotas menores para economizar combustível. No sul do estado, em Ilhéus, a frota opera com quase 70%. Em Juazeiro, no norte do estado, 90% dos ônibus estão na ruas e o abastecimento dos veículos está garantido apenas até esta sexta-feira (25). Leia Mais

Compartilhar
Brasil/Greve

Divididos, caminhoneiros não chegam a acordo com governo

Parte dos representantes da categoria não aceitou a proposta do governo

Na segunda reunião com representantes de onze categorias de caminhoneiros, o governo buscou um acordo, mas nem todos os presentes aceitaram a proposta. O representante da Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), José da Fonseca Lopes, negou o acordo proposto pelo governo de suspender a paralisação por um período entre 15 dias a um mês enquanto o governo continua trabalhando para reduzir o preço do diesel.

Lopes disse que outros líderes da categoria se mostraram receptivos à proposta de suspender a paralisação, mas ele se recusou e deixou o local antes do fim da reunião. A Abcam representa 700 mil caminhoneiros, com 600 sindicatos espalhados pelo Brasil.

“Todo mundo acatou a posição que pediram, mas eu não. Eu coloquei que respeito o que meus colegas pediram e estão sendo atendidos, que acho ser coisa secundária, e disse que vim resolver o problema do PIS, do Cofins e da Cide, que tá embutido no preço do combustível”, disse Lopes. Ele disse ainda que não fala em suspender a paralisação enquanto o Senado não aprovar a isenção do PIS/Cofins, projeto aprovado na terça-feira, 23, pela Câmara.

Motoristas individuais

Enquanto a reunião se desenrolava no 4º andar do Palácio do Planalto, o representante dos motoristas individuais do Centro-Oeste, Wallace Landim, disse que sua categoria não está representada na reunião e que nenhuma decisão acatada na reunião será seguida por eles. Leia Mais

Compartilhar
Página 19 de 471« Primeira...10...1718192021...304050...Última »