7 de agosto de 2019 às 18:25

Ministério da Saúde alerta municípios para imunização contra o sarampo

A única medida efetiva de prevenção contra a doença contagiosa é a Tríplice Viral, que também imuniza contra a caxumba e a rubéola
Foto: Agência Brasil

A importância da prevenção para que o sarampo não se instale na Bahia – a exemplo do que está ocorrendo em São Paulo, no Pará e no Rio de Janeiro, onde 561 casos foram registrados nos três Estados, entre 2018 e 2019 – vem sendo reforçada pela Secretaria da Saúde do Estado (SESAB). O alerta está sendo feito nos municípios para que as pessoas que não sejam vacinadas façam a imunização com a a vacina Tríplice Viral, distribuída gratuitamente nos postos de saúde, evitando casos e situações de surto do Estado. Altamente contagiosa, a doença é transmitida pelas secreções extraídas na tosse, fala e espirro. Os principais sintomas são febre alta, manchas vermelhas na pele, tosse, coriza e conjuntivite.

A única medida efetiva de prevenção contra a doença contagiosa é a Tríplice Viral, que também imuniza contra a caxumba e a rubéola. Essa imunização faz parte do calendário vacinal. A primeira dose deve ser tomada com um ano de vida e a segunda é aplicada três meses depois. Caso a vacinação não seja feita no tempo ideal, ainda é possível se proteger. Até os 29 anos é preciso tomar as duas doses. Entre 30 e 49 anos é ministrada dose única. Acima dos 50 anos não é mais feita a imunização.

“Atualmente, nós temos três casos confirmados no Estado. Mas todos eles são importados, ou seja, as pessoas foram infectadas em outros locais, seja no próprio Brasil, em São Paulo, ou até fora do país, como o caso de uma criança que teve como local provável de infecção a Espanha. Estamos em um momento de alerta para evitar que novos casos ocorram e até casos daqui mesmo”, destaca a coordenadora do Programa de Imunização da SESAB, Akemi Erdens. //A Tarde



Deixe seu Comentário