2 de junho de 2019 às 18:22

Alexandre Frota acusa Bolsonaro de ‘toma lá, dá cá’

Segundo deputado, indicado técnico foi trocado por “afilhado” de colega na Câmara

Em áudio vazado ontem (1º), o deputado federal Alexandre Frota (PSL-SP) acusa o presidente Jair Bolsonaro, o ministro da Cidadania, Osmar Terra, e o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, de praticarem “toma lá, dá cá” em indicação de cargo na secretaria de Audiovisual do Ministério da Cidadania.

O conteúdo foi divulgado pela coluna Radar, da Veja.

Frota afirma que Bolsonaro e Onyx afastaram Pedro Peixoto, que foi indicação sua e tem formação técnica, para colocar um afilhado do deputado Éder Mauro (PSD-PA), Edilásio Barra.

“Eles tiraram o Pedro Peixoto, que eu fui buscar na Fox”, diz Frota. “Um cara com 50 programas de televisão nas costas, criador do Pânico. Trabalhou anos na TV Globo, na Record, na Rede TV, na Band”, continua.

“Assumiu o audiovisual, foi sabatinado, aprovado por unanimidade. E agora o Osmar Terra, junto com o Henrique, tira esse cara, a pedido do Bolsonaro e do deputado Éder Mauro. Esse cara é primo do Éder Mauro, e o Ônyx tinha uma dívida com o Éder Mauro. Pra colocar o sobrinho dele em alguma coisa, tiraram um profissional e colocaram um cara que era figurante na novela Roque Santeiro”, afirma o deputado.

“Ele não tem formação em cinema e nunca fez absolutamente nada. Não sabe o que é cinema”, conclui.

Éder Mauro ainda foi acusado de agressão contra uma servidora transsexual na última terça-feira.



Deixe seu Comentário