11 de maio de 2015 às 13:26

 Saudades do amigo de 25 anos: Luís Fernandes

Os amigos Paulo Nunes e Luís Fernandes Arquivo pessoal

Os amigos Paulo Nunes e Luís Fernandes
Arquivo pessoal

Luís Carlos Fernandes nasceu em São Paulo em 31 de julho de 1969. Por ser filho de pai e mãe conquistenses, veio para Vitória da Conquista aos seis anos de idade. Aluno dedicado, estudou no Instituto de Educação Euclides Dantas e fez três cursos de nível superior na UESB: História, Economia e Direito – esse último, colaria grau em junho próximo. Trabalhou em Vitória da Conquista no Banco Bradesco, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. Paralelamente, como professor concursado do Estado, lecionou em Conquista no Colégio Carlos Santana e em Jequié no Instituto de Educação Régis Pacheco (IERP).

Seu último emprego foi no Tribunal Regional do Trabalho, onde exercia a função de Técnico Judiciário da Segunda Vara da justiça do Trabalho em Vitória da Conquista.

Nos anos 80, trabalhou como correspondente do Jornal Tribuna da Bahia em Vitória da Conquista. Trabalhou também no Jornal Impacto e na Revista Raízes da Bahia. Em 1991 passou a integrar a equipe do jornal HOJE onde, junto com Paulo Nunes e Glória Borges, preparou uma edição histórica retratando os 151 anos de emancipação política de Vitória da Conquista.

Logo depois passou a ser diretor de redação do jornal Hoje, coordenando as reportagens, mas devido à sua atividade de trabalho no Bradesco cedeu seu lugar no jornal para o professor Antônio Nery Barbosa, um dos mais renomados professores de Conquista. Entretanto, Fernandes continuou colaborando com o Jornal, sempre com grandes reportagens, notadamente no aspecto histórico. Sempre teve como suas principais fontes os advogados Ruy Medeiros e Paulo Nunes. Em 2002 participou ativamente de mais uma edição histórica em comemoração aos 162 anos de emancipação de Conquista, jornal que foi inserido nos anais da Câmara de Vitória da Conquista como patrimônio histórico e cultural da cidade.

Idealizou a comemoração dos cem anos de jornalismo em Conquista e homenageou aqueles que em sua época a sociedade conquistense e da região reconheceram como tal. Este documento histórico teve apoio total da Prefeitura de Conquista, através de seu prefeito Guilherme Menezes. Adiante publicou também uma revista contando a História da Educação em Vitória da Conquista e registrou a passagem dos principais professores da cidade e, mais uma vez, recebeu apoio total da Prefeitura de Conquista para a confecção da obra.

Fernandes também concluiu um trabalho espetacular resgatando a história daqueles que, através do futebol amador ou profissional, fizeram a alegria do povo de Conquista e região. Infelizmente, não foi possível conseguir o apoio financeiro da Prefeitura e a obra ainda necessita de patrocínio para sua impressão e distribuição para a população.

Enfim, Luís Fernandes foi um grande homem que deixou seu conhecimento ao alcance dos demais da comuna conquistense. Ele foi à escola superior e não guardou pra si os seus 13 anos de academia. Ao contrário, compartilhou o seu saber e contribuiu para que as demais pessoas soubessem e dessem valor à nossa Vitória da Conquista. Seu trabalho de pesquisa, o valor pessoal que sempre deu ao resgate da história, são contribuições que o conquistense honra e agradece.

Infelizmente, a morte o levou aos 45 anos de idade, deixando esposa, Ana Fernandes, e um filho de seis anos, Guilherme. Deixou também muitos amigos e admiradores. Gentil, educado e intelectual, tivemos o prazer de partilhar de suas ideias e ideais. Estará encantando agora, em outras ágoras e com certeza falando de Vitória da Conquista e de seu amor por nossa terra e nossa gente. Era um grande amigo, falava comigo diariamente e me acompanhava em quase todos os eventos da cidade, sendo chamado pela amiga Madalena Abreu, de meu sombra. Enfim, foram 25 anos de amizade, claro com muitas discussões em relação a opinião, muito normal entre dois amigos que se respeitam. Logo, logo nos encontraremos no plano eterno.



Deixe seu Comentário